A nossa romaria de 1940 a 1979


(Fotos da Romaria de 1962)

 

Para conhecimento de todos, as Romarias de Vila Franca do Campo sempre tiveram os seus altos e baixos.

Conversando com o meu avô José Jacinto Saêta Júnior de seu nome, um dos mais carismáticos Romeiros da nossa Vila, disse-me que quando saiu da tropa, mais ou menos no ano de 1942, as Romarias em Vila Franca estavam “paradas”, porque tinha falecido o Mestre e não houve ninguém que continua-se com o cargo.

Foi então que no mesmo ano José Saêta, mais conhecido por José “Catana”, incorporou-se na Romaria da Ribeira das Tainhas para assim cumprir uma promessa de sua mãe. Meu avô foi então três anos seguidos nesta Romaria, até que lembrou-se de voltar a reabrir o Rancho de Vila Franca. E foi então com a ajuda de seu compadre José Botelho que reabriram o Rancho com muito sacrifício e algumas dificuldades.

 

José Botelho foi o Mestre e José Saêta foi um dos Guias, e eles aos poucos foram divulgando a beleza das Romarias ao ponto do Rancho ser na década de 60 um dos mais falados na Ilha, pela sabedoria do seu Mestre e da experiência e dedicação do seu Guia.

 

 

(Fotos da Romaria de 1963)


Na década de 60 eram muitas as crianças que a mando dos pais ou não, iam de Romeiro, até porque com o passar dos anos foi esta juventude que deu continuidade ás nossas Romarias em Vila Franca. Na sua grande maioria os Romeiros eram pessoas pobres, que viviam da terra ou do mar e eram muito poucos os homens da alta sociedade que se interessavam pelas Romarias, mas com o passar dos tempos as coisas foram se alterando.

 

(Fotos da Romaria de 1969)

 

Como atrás tá mencionado, as Romarias foram sempre sofrendo alterações como por exemplo na indumentária (as roupas) como também nas orações. O Dr. Urbano Mendonça Dias descreve as Romarias em Vila Franca do Campo em 1919, mas como vão ter oportunidade de ler, a partir da década de 50 as Romarias foram sofrendo ligeiras alterações como comprova o manual dos Romeiros “Santo Tempo – A voz dos Romeiros” utilizado na altura das reuniões de preparação. As chegadas à Igreja, as salvas, as orações, os agradecimentos, os cânticos das Eucaristias e até mesmo os seu Regulamento ou Regras em 1966, os quais passo a transcrever:

 

(Fotos da Romaria de 1970)

 

Seja sempre bendita e louvada a sagrada paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo

Seja para sempre louvada a da sua Mãe Maria Santíssima

 

(Foto da Romaria de 1971)

 

(Fotos da Romaria de 1973)

 

“Irmãos, vamos começar hoje a nossa Romaria, a nossa peregrinação, o nossos acto de fé, a nossa penitência.

Vamos deixar as nossas famílias, as nossas casas, os nossos amigos, os nossos trabalhos e todas a nossas lavouras.

Vamos visitar as casas de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Nossa Mãe Maria Santíssima.

Vamos fazer um grande sacrifício, saibamos aproveitar, e, para podermos aproveitar este sacrifício são precisos quatro preceitos; e se estes preceitos foram feitos com sacrifício, paciência, amor e boa vontade, servirá um dia para bem das nossas almas, das almas dos nossos Pais, Avós e Famílias, e pelas almas benditas que sofrem no Purgatório.

1.º - Respeitar o nosso Irmão Mestre e cumprir rigorosamente todas as penitências que nos sejam dadas.

2.º - Manter em ordem cada Irmão Romeiro o seu lugar no rebanho ou Rancho, com os olhos fixos no chão, cabeça e coração no ar, a cantar em alta voz o mais possível, o cântico mais lindo de Nossa Senhora:

Avé Maria, Cheia de Graça ...

Santa Maria, Mãe de Deus ...

 

3.º - Quando vamos cantando o terço o nosso Irmão Mestre, ou o nosso Irmão Lembrador das Almas, fazem uma salvas e pedem reza para nós Irmãos, rezaremos cada um para si; Esta reza é rezada com a seguinte forma: quando a reza é pedida na Avé Maria, os que cantam a Avé Maria rezam enquanto se canta a Santa Maria, de igual modo, os da Santa Maria rezem enquanto se canta a Avé Maria.

4.º - Nas casas onde pernoitamos, o máximo respeito com as irmãzinhas que com tão bom coração nos oferecem as suas casas, que nos dão água para lavarmos os pés, e uma cama para descansarmos e repousarmos o abrigo do ar de poisada da noite. Fazei de conta que estas casas que vamos pernoitar que é a casa da Sagrada Família, a casa da nossa Mãe do Céu, e portanto Irmãos, a maior delicadeza, e em recompensa ao amor deste irmãozinhos rezar durante o dia um terço para oferecermos às irmãzinhas donas da casa para que elas oferecem pelas suas intenções.

5.º - Quando entramos nas casa de Deus, com todo o respeito, procuramos a melhor maneira de ficarmos juntinhos não olhar para trás, nem conversas, fitamos os olhos no Sacrário e oferecemos ao Santíssimo Sacramento e à Santíssima Virgem todos os sacrifícios, se assim cumprimos esta penitência Nossa Senhora nos acompanhará em todos os dias da nossa Vida.

 

 

CÂNTICOS DA CHEGADA (1966)

Salva a Nossa Senhora:

Deus Vos salve Maria, Filha de Deus Pai

Deus Vos salve Maria, Mãe de Deus Filho

Deus Vos salve Maria, Esposa do Espírito Santo

Deus Vos salve Maria, Templo do Sacrário da Santíssima Trindade. Amen.

 

Seja sempre bendita e louvada a sagrada paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo

Seja para sempre louvada a da sua Mãe Maria Santíssima

 

CÂNTICO DE ENTRADA (1966)

 

1.   Dai-me licença Senhora,                  2.   Senhora dai licença,

Rainha Imaculada,                                Aos tristes filhos de Adão,

Para que entremos agora,                    Para que em Vossa presença,

Em Vossa Santa morada.                      Vos faça minha oração.

 

3.   Entrai pecadores entrai,                   4.   Quero depor-Vos aos Vossos pés,

A ver a Mãe de Jesus,                            Hoje pela primeira vez,

E água benta tomai,                             Rainha do alto dos céus,

Fazei o sinal da Cruz.                             Nossa Mãe e Mãe de Deus.

 

5.   Ajoelhai pecadores,

Com os joelhos no chão,

Assim fez o Redentor,

Pela nossa salvação.

 

CÂNTICO A NOSSA SENHORA MÃE DE DEUS (1966)

 

1.   A Vossos pés Ó Mãe de Deus,          2.   Bem sabeis que os inimigos,

Deite as minha orações,                        Tentam com ânsia e furor,

A pedir-Vos que na morte,                     Por isso a Vós suplicamos,

Nos livreis das tentações.                       Dai-nos constância e valor.

 

3.   Para que vencendo a todos,

Tenha a graça final,

De gozar a Deus convosco,

Na pátria celestial.

CÂNTICOS DE DESPEDIDA

“Adeus a Maria Mãe do Céu” (1966)

 

1.   Ó Mãe, adeus Ó: - Mãe,                   2.   De Vós me aparto Ó: Mãe,

Adeus adeus Maria,                                Adeus hó Mãe Santíssima,

Deixa-me contigo Ó:  Mãe,                   No céu, no céu Ó: - Mãe,

No céu, no céu um dia.                         Cantemos Avé Maria.

 

Despedida da noite a Jesus e Nossa Senhora

 

1.   Lenta e calma sobre a terra,           2.   Em silêncio no Sacrário,

Desce a noite, foge a Lua,                    Rósea chama tremeluz,

Quero agora despedir-me,                    E suaves cantam anjos,

Boa noite, meu Jesus.                            Boa noite, meu Jesus.

 

3.   Coração quem dera fosses,            4.   E Vós Virgem Maria,

Lamparina e eterna luz,                         Dai-nos a benção também,

Porque assim eu não diria,                    Velai por nós esta noite,

Boa noite, meu Jesus.                            Boa noite, minha Mãe.

 

Após a última despedida, canta-se:

 

Mestre: Senhor Deus,

Romeiros: Misericórdia

Mestre: Virgem Mãe de Deus e Mãe nossa

Romeiros: Alcançai-nos o Vosso amado Filho Misericórdia