Manual das reuniões

 

1ª Reunião de Preparação

Ø     Acolhimento, recepção e inscrições;

Ø     Oração Inicial;

·      Sinal da Cruz (Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo)

·      Glória (tradicional dos romeiros)

·      Mestre: Vinde Espírito Santo,

·      Todos: Enchei os corações dos vossos féis e acendei neles o fogo do vosso Amor.

·      Mestre: Enviai Senhor o vosso Espírito e tudo será criado,

·      Todos: e renovareis a face da terra.

·      Mestre:    Ó Deus que iluminastes os corações dos vossos fiéis com as luzes do Espírito Santo, fazei que apreciemos rectamente todas as coisas no mesmo Espírito e gozemos sempre da Sua consolação.

Por Cristo Nosso Senhor.

·      Todos: Ámen.

·      Pai Nosso (todos);

·      Glória ao Pai… assim como era no princípio agora e sempre, Ámen;

·      São Miguel Arcanjo, rogai por nós.

·      Sinal da Cruz (Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo)

Ø     Uma palavra em especial aos novos Romeiros:

o       Diálogo, testemunho dos novos Irmãos;

o       Tratar-se por irmãos;

o       Os irmãos de outras localidades, deverão trazer credenciais do Pároco;

§         Que motivos invocam para não incorporarem no seu Rancho;

§         Aos “Recasados”, não podem comungar (ver estado civil);

§         Amizade com irmãos – não é justificação;

o       Ninguém está dispensado das reuniões;

o       Ir com mais frequência à missa – “não vos vejo nas Missas!” (aos repetentes)

o       Participar no Grupo Paroquial de Romeiros;

o       Responsabilidade de ser romeiro - nas acções diárias;

o       Pernoitas dos Romeiros na Vila;

o       Brincos e tranças;

o       Irmãos com desavenças;

o       Respeito com os responsáveis;

o       Explicar quem são, principalmente (Mestre e Contra-Mestre);

o       Indisciplina.

Ø     Explicação aos novos Romeiros da origem das Romarias, conforme o Preâmbulo do Regulamento dos Romeiros de São Miguel:

Com origem nas seculares Romarias Quaresmais, que remontam ao século XVI, o “Movimento Romeiros de São Miguel” (M.R.S.M.), designado a nível de Paróquia por “Grupo Paroquial de Romeiros”, é um movimento apostólico de fieis cristãos que, participando ou tendo participado nas Romarias Quaresmais, se comprometem a continuar a viver, nas restantes semanas do ano, o espírito da Romaria.

Tendo por base a vivência da Romaria, traduzida na Oração e Penitência, no Sacrifício e Partilha, na Renúncia e Caridade, o movimento tem como finalidade o desenvolvimento do seu compromisso na vida da comunidade paroquial, nas três vertentes da acção pastoral: Evangelização, Liturgia e Acção Sócio-Caritativa, a partir de um empenho permanente de formação cristã. Não se destina a substituir qualquer acção pastoral, organizada ou não, nem a acção apostólica de outras Obras, Movimentos ou Grupos de Apostolado, mas sim a de os apoiar, em estreita colaboração com o respectivo Pároco  e com os Movimentos organizados, existentes na Paróquia. Cada Grupo paroquial de Romeiros estudará com o seu Pároco, ouvido o Conselho Pastoral, a acção concreta a desenvolver na Paróquia.

A sua organização, que inclui a estrutura, fins, membros, responsáveis e funcionamento, é definida, no essencial, pelo presente Regulamento, devendo, no mais, ser estruturada e concretizada pelos responsáveis locais, em estreita colaboração com o Pároco  e com o apoio do Grupo Coodenador. (...)

As Romarias, cuja prática foi e ainda é conhecida por “Visitas às Casa de Nossa Senhora”, tiveram como causa remota, como é da tradição, as calamidades públicas que ocorreram com os terramotos e erupções vulcânicas de 22 de Outubro de 1522 e 25 de Junho de 1563, que arrasaram Vila Franca do Campo e prejudicaram gravemente a Ribeira Grande. Estas Romarias têm valores, virtudes e vivências que importa preservar, no essencial, nas suas características originais, pois constituem um legado inestimável de Fé e Esperança dos nossos antepassados, os quais sentiam que, naqueles momentos de aflição, as suas preces e súplicas ao Céu, por intermédio de Maria Santíssima, eram ouvidas pelo Altíssimo, que lhes dispensava protecção e lhes concedia Graças. É, pois, um legado que o M.R.S.M. tem hoje a obrigação de preservar e continuar nas Paróquias, nas restantes semanas do ano, pelo apostolado daqueles que tiveram um dia a felicidade de viver numa Romaria a experiência de Fé, Oração, Penitência e Fraternidade. (...)

O Capítulo I recolhe toda a matéria relacionada com a forma tradicional e actual das Romarias; o Capítulo II refere-se à estrutura do Grupo Paroquial de Romeiros; o Capítulo III menciona o funcionamento do Grupo Coordenador dos Romeiros de São Miguel; e finalmente o Capítulo IV contempla diversas disposições, algumas transitórias, entre as quais: a revisão e actualização do presente Regulamento, obrigatória após a vigência de uma dezena de anos, ou quando o Magistério da Igreja Católica o julgar oportuno.

Ø     Como irão ser as nossas reuniões:

o      Oração inicial;

o      Parte Doutrinal: como uma passagem bíblica, seguida de reflexão;

o      Poderão vir pessoas convidadas para a parte Espiritual (Padre ou Leigos)

o      Estudo do Regulamento do MRSM;

o      Intervalo (10 minutos) até tocar a campainha – espírito de obediência;

o      Explicação das normas e regras internas do n/ Rancho;

o      Data da próxima reunião;

o      Pequenos avisos ou lista das pernoitas;

o      Diálogo para Dúvidas ou esclarecimentos;

o      Intervenção do Contra-Mestre;

o      Oração Final;

o      Duração de 1:30h.

o      Mais “catequese” e menos “ensaios”;

------ I n t e r v a l o ------

Ø     Tema pastoral deste ano:

o    Mostrar livro da Diocese e Explicar;

Ø     Marcação dos dias e locais das reuniões;

o      Dias das Reuniões (ver folha):

§       Geralmente serão todas as Segundas e Sextas;

§       Haverá alterações, devido às pernoitas dos Ranchos;

o      Local das reuniões:

§       1.ª Fase: no Externato;

§       2.ª Fase: na Igreja Matriz;

§       3.ª Fase: no Externato;

o      O uso do telemóvel;

o      Fazer caminhadas – preparação – calçado;

o      Calendarização das reuniões:

§       Ver Mapa.

Ø     Eventuais alterações do nosso Itinerário;

o      Ver mapa do Itinerário;

o      Ministro da Comunhão;

Ø     Encontro Retiro da Ribeira Grande;

o      Temas e principais aspectos do Encontro – Inscrições – Trabalhos solicitados;

Ø     Dúvidas e esclarecimentos;

o      Ouvir e responder aos intervenientes;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Oração Final;

·      Sinal da Cruz (Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo)

·      Mestre:    Nós vos damos graças Senhor por todos os benefícios que nos tendes concedido ao longo desta preparação, a vós que sóis Deus com Pai, na Unidade do Espírito Santo.

·      Todos: Ámen.

·      Avé Maria (Todos);

·      Glória ao Pai… assim como era no princípio agora e sempre, Ámen;

·      Rainha da Paz, rogai por nós;

·      Sinal da Cruz (Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo)

 

Anexos necessários:

·      Calendarização das reuniões;

·      Itinerário;

 

 

2ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial

Ø     Acolhimento e recepção;

Ø     Inscrições (o preenchimento das Fichas serão no fim da reunião);

Ø     Resumo da última Reunião;

Ø     Resumo do Retiro Espiritual na Ribeira Grande;

Ø     PARTE DOUTRINAL: “O chamamento”                                                      

o     Tal como Pedro “Chamamento dos primeiros discípulos” (Mt 4, 18-22) sois também chamados a fazer algo “de novo”, para proveito pessoal e glória para Deus;

§   “Chamamento dos primeiros discípulos” - “Caminhando ao longo do mar da Galileia, Jesus viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu Irmão André, lançavam as redes ao mar pois eram pescadores. Disse-lhes: «Vinde Comigo e Eu farei de vós pescadores de homens.» E eles deixaram as redes imediatamente e seguiram-No. Um pouco mais adiante, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu Irmão João, os quais, com seu pai, Zebedeu, consertavam as redes, dentro do barco. Chamou-os e eles, deixando no mesmo instante o barco e o pai, seguiram-No”. (Mt 4, 18-22).

o     Como interpretar a resposta “Sim” a este mesmo “Chamamento”.

Ø     IDEAL de vida:

§      Cada irmão deve ter um ideal de vida – rumo à sua vida;

§      Para ter um ideal de vida: fazer o Bem, dizer a verdade e ter felicidade de viver;

§      Para sermos verdadeiros romeiros, temos que ter um ideal de vida;

§      O romeiro tem que ter um ideal que dê sentido à sua vida;

§      O ideal é o eixo da nossa vida;

§      Na romaria aprende-se e ganha-se este tão falado ideal;

Ø     Estudo e explicação do Regulamento (art.º 1.º a 4.º):

o      Capítulo I (Das Romarias Quaresmais) – Secção I – (Natureza e Fins):

§  Art.º 1.º: Da Natureza;

Denominam-se Romeiros de São Miguel os grupos de católicos que, organizados em Ranchos por localidades, se propõem visitar, durante o Tempo da Quaresma, o maior número de Igrejas e Ermidas da Ilha de São Miguel, cantando e rezando em todo o percurso.

1.º Cada Rancho deverá sair numa das semanas da Quaresma, previamente escolhida em conjugação com o Grupo Coordenador, devendo os primeiros sair no fim-de-semana seguinte à Quarta-Feira de Cinzas, e os últimos deverão entrar nas suas localidades no início do Tríduo Pascal, isto é, na Quinta-feira Santa.

2.º O percurso será feito, por regra, no sentido dos ponteiros do relógio, ou seja, tendo sempre o mar à esquerda.

3.º A saída do Rancho deverá ser antes do alvorecer, e a entrada na localidade das pernoitas, logo a seguir ao “pôr-do-sol”.

§  Art.º 2.º: Dos Fins;

Os fins da Romaria são:

1.    Fazer penitência pelos pecados próprios e alheios.

2.    Louvar e agradecer ao Senhor pelas Graças recebidas.

3.     Suplicar a paz e as bênçãos de Deus para a humanidade, para a Igreja, para a Diocese e para as famílias.

Nota: As Orações serão feitas especialmente por intercessão de Maria Santíssima, a quem, logo pela manhã, se pede protecção materna para a caminhada.

o      Secção II – (Da Criação e Organização do Rancho):

§  Art.º 3.º: Criação de um Rancho de Romeiros;

A criação e organização de qualquer Rancho de Romeiros na Ilha de São Miguel, depende da aprovação do Pároco da localidade, ouvidos o Conselho Pastoral e o Grupo Coordenador dos Romeiros de São Miguel.

Nota: Igual procedimento deverá ser tomado aquando do reinício do Rancho, nas localidades onde a última saída tenha ocorrido há cinco ou mais anos.

§  Art.º 4.º: Organização do Rancho;

Logo que o Rancho for criado ou reiniciado, deverá tal facto ser comunicado ao Grupo Coordenador, com informação do nome, estado civil e profissão dos responsáveis, e bem assim, local, dia e hora de reuniões.

------ I n t e r v a l o ------

Ø     PARTE PRÁTICA: “Orações e Salvas para decorar”                                   

Ø     Orações para Decorar (ver folha);

1.     Salva

Seja bendita e louvada a Sagrada vida, paixão, morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. Seja para sempre louvada com sua e nossa Mãe Maria Santíssima.

2.     Chegadas às Igrejas

Glória ao Pai, ao Filho, e ao Espírito Santo, assim como era no princípio, agora e sempre, Ámen.

Deus Vos salve Maria, Filha de Deus Pai,

Deus Vos salve Maria, Mãe de Deus Filho,

Deus Vos salve Maria, Esposa do Espírito Santo,

Deus Vos salve Maria, Templo Sacrário da Santíssima Trindade.

3.     Oração das Refeições:

“Abençoai Senhor o alimento que vamos tomar, que ele repare as nossas forças, para melhor Vos servir e amar.”

4.     Oração antes das Reuniões ou Meditações (Invocação do Espírito Santo):

Mestre: Vinde, Espírito Santo,

Todos: enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor.

Mestre: Enviai Senhor, o vosso Espírito e tudo será criado,

Todos: e renovareis a face da Terra.

Mestre: Oremos, Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com as luzes do Espírito Santo, fazei que apreciemos rectamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação.

Por Cristo nosso Senhor.

Todos: Ámen.

Ø     Orações Simples;

1)     Os anjos dos céus Vos louvam soberana Senhora dos céus e da terra, e de Deus Mãe bela por nós que nunca soubemos, louvar muitas, infinitas e milhares de vezes. Amén.

 

(Se a porta da Igreja estiver aberta canta-se algumas destas quadras para entrarmos, senão passa-se para a III parte)

2)     Quadras de Entrada a Nossa Senhora;

I                                                              II                                                             III

Já chegamos à Igreja,                        Sois Filha de Santa Ana,                   Maria Senhora Minha,

Onde está a Mãe da Graça,              Vosso Pai São Joaquim,                    Sois a Mãe de Jesus,

Bendita e Louvada seja,                    Quem por Vosso nome chama,        Dos céus Sois Rainha,

Não há quem sombra Vos faça.      Alcança graças sem fim.                   Das almas amor e luz.

IV                                                           V                                                            VI

Vós Sois a Mãe de todo brilho,       Senhora dai-Nos licença,                 Entrai, entrai pecadores,

Eu Vos dou os meus louvores,         Aos Romeiros que aqui estão,         Por esta porta Sagrada,

Pedi Mãe ao Vosso Filho,                 P’ra que na Vossa presença,            Vamos render os louvores,

Perdão para os pecadores.              Façamos nossa Oração.                   A Maria Imaculada.

VII                                                          VIII                                                         IX (excepto nas pernoitas)

Dos céus Sois o maior brilho,         Ajoelhai pecadores,                           Por esta escada de luz,

Sois uma Mãe de bondade,              Com os joelhos nos chão,                Suba a nossa Romaria,

Deste à luz um Filho,                         Vamos pedir à Senhora,                    O Pai Nosso é p’ra Jesus,

P’ra salvar a Humanidade.              P’ra seu Filho nos dar perdão.        P’ra senhora Avé Maria.

 

3)     Pede-se algumas intenções conforme a escolha de cada um.

Exemplo: Pela nossa Romaria, Avê Maria. (Atenção que a última intenção é uma Salve Rainha)

4)     Misericórdia a Deus;

-  Senhor Deus: Misericórdia ( 3 vezes )

-  Virgem Maria Mãe de Deus e Mãe nossa: Alcançai o perdão do vosso amado filho de misericórdia.

(3 vezes)

5)     Saída ou Despedida; (à escolha uma das três)

I                                                                                   II                                                                      III

É suave é mavioso, o Teu nome é                         Por esta escada de luz,                              Senhor nós vamos embora,

Virgem Pura, mais perfume tens que                  Suba a nossa Romaria,                              Seguir nossa Romaria.

As rosas, mais que os favos tens                         O Pai Nosso é p’ra Jesus,                           À Senhora rezo agora,

Doçura, em mil coros de hamonia,                     P’ra senhora Avé Maria.                            O Hino d’Avé Maria.

Descantemos à porfia, Ave-Maria

Ø     Preços das Inscrições;

o   Adultos: 20€ e Crianças até aos 16 anos: 10€;

o   Apresentação de Contas do ano anterior;

o   Explicar onde são empregues o dinheiro;

o   “Ninguém dá a volta à Ilha com 20€”;

Ø     Dúvidas e esclarecimentos;

o   Ouvir e responder aos intervenientes;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião – Outros avisos;

Ø     Oração Final;

 

Anexos necessários:

·      Regulamento (1ª Parte);

·      Orações para decorar;

·      Orações simples;

 

 


3ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Continuação das Inscrições - resumo da última reunião;

Ø     Uma “palavra” aos que se inscreveram hoje. Também fostes “chamados”;

Ø    PARTE DOUTRINAL: “Ordinário da MISSA” (Convidar Sacerdote)                 

 

CANTO DE ENTRADA

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amén.

A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus, que nos reuniu no amor de Cristo.

KYRIE

Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.

GLÓRIA

Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados. Senhor Deus, rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças, por vossa imensa glória. Senhor Jesus Cristo, Filho Unigénito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai: Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. Vós, que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só Vós sois o Santo; só Vós, o Senhor; só Vós, o Altíssimo Jesus Cristo; com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amén.

LITURGIA DA PALAVRA

PRIMEIRA LEITURA – SALMO - SEGUNDA LEITURA – ALELUIA - EVANGELHO

O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós. Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo São... Glória a Vós, Senhor. Palavra da Salvação. Glória a Vós, Senhor. HOMILIA

PROFISSÃO DE FÉ

Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação desceu dos Céus. E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai. De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai  e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas. Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só Baptismo para remissão dos pecados. E espero ressurreição dos mortos, e a vida do mundo que há-de vir. Amén.

LITURGIA EUCARÍSTICA

Bendito sejais, Senhor, Deus do universo, pelo pão que recebemos da vossa bondade, fruto da terra e do trabalho do homem, que hoje Vos apresentamos, e que para nós se vai tornar Pão da vida. Bendito seja Deus para sempre.

Bendito sejais, Senhor, Deus do universo, pelo vinho que recebemos da vossa bondade, fruto da videira e do trabalho do homem, que hoje Vos apresentamos e que para nós se vai tornar Vinho da salvação. Bendito seja Deus para sempre.

Orai, irmãos, para que o meu e vosso sacrifício seja aceite por Deus Pai todo-poderoso. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS... Amén.

O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós. Corações ao alto. O nosso coração está em Deus. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. É nosso dever, é nossa salvação.

Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação, dar-Vos graças sempre e em toda a parte por Jesus Cristo, vosso amado Filho. Ele é a vossa Palavra, por quem tudo criastes. Enviado por Vós como Salvador e Redentor, fez-Se homem pelo poder do Espírito Santo e nasceu da Virgem Maria. Para cumprir a vossa vontade e adquirir para Vós um povo santo, estendeu os braços e morreu na cruz ; e, destruindo assim a morte, manifestou a vitória da ressurreição. Por isso, com os Anjos e os Santos, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz.

Sanctus (Santo)

Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo. O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hossana nas alturas. Bendito O que vem em nome do Senhor. Hossana nas alturas!

Benedictus

Vós, Senhor, sois verdadeiramente santo, sois a fonte de toda a santidade. Santificai estes dons, (Ajoelhar) derramando sobre eles o vosso Espírito, de modo que se convertam, para nós, no Corpo e + Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Na hora em que Ele Se entregava, para voluntariamente sofrer a morte, tomou o pão e, dando graças, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo: "'TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS." De igual modo, no fim da Ceia, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos seus discípulos, dizendo: "TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM."

Mistério da fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

Celebrando agora, Senhor, o memorial da morte e ressurreição de vosso Filho, nós Vos oferecemos o pão da vida e o cálice da salvação e Vos damos graças porque nos admitistes à vossa presença para Vos servir nestes santos mistérios. Humildemente Vos suplicamos que, participando no Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos, pelo Espírito Santo num só corpo. Lembrai-Vos, Senhor, da vossa Igreja, dispersa por toda a terra, e tornai-a perfeita na caridade em comunhão com o Papa Bento, o nosso Bispo António e todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo. Lembrai-Vos também dos [outros] nossos irmãos que adormeceram na esperança da ressurreição, e de todos aqueles que na vossa misericórdia partiram deste mundo: admiti-os na luz da vossa presença. Tende misericórdia de nós, Senhor, e dai-nos a graça de participar na vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, os bem-aventurados Apóstolos e todos os Santos que desde o princípio do mundo viveram na vossa amizade, para cantarmos os vossos louvores, por Jesus Cristo, vosso Filho. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito santo, toda a honra e toda a glória agora e para sempre. Amén

RITOS DA COMUNHÃO

PATER NOSTER (Pai Nosso)

Pai Nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido; e não nos deixeis cair em tentação; mas livrai-nos do mal.

Livrai-nos de todo o mal, Senhor, e dai ao mundo a paz em nossos dias, para que, ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e de toda a perturbação, enquanto esperamos a vinda gloriosa de Jesus Cristo nosso Salvador. Vosso é o reino e o poder e a glória para sempre.

Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos Apóstolos: Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz : não olheis aos nossos pecados, mas à fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a vossa vontade. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amén.

A paz do Senhor esteja sempre convosco. O amor de Cristo nos uniu.

Saudai-vos na paz de Cristo.

AGNUS DEI

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo.

COMUNHÃO: O Corpo de Cristo. Amén.

RITOS DE CONCLUSÃO

O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós.

Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amén.

Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

------ I n t e r v a l o ------

Ø     PARTE PRÁTICA: “Preparação Física – apresentação física - ambiente”            

Ø     Recomendações:

o   Calçado – caminhadas - preparação;

o   Tipo de calçado;

o   Peúgas - algodão;

o   Permissão de calças de fato-treino;

o   Cores das roupas;

o   Indumentária;

Ø     Cuidados a ter com a apresentação:

o   Sempre que entramos numa localidade;

o   O irmão que vem atrás do outros – lenço;

o   Cuidado em não sujar-se;

o   Ter cuidado com a sua higiene pessoal;

o   Recomendamos o corte do cabelo;

o   Boa aparência;

Ø     Ambiente:

o   Equipa responsável – grupo de irmãos;

o   Nas orações eles conferem tudo;

o   Não é permitido lançar nada ao chão – nem garrafas;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião – outros avisos;

Ø     Oração Final;

 


4ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Continuação das Inscrições - resumo da última reunião;

Ø     PARTE DOUTRINAL: As Virtudes teologais: “Fé” e “Esperança”                

o    “Fé” – Crer e confiar firmemente;

§    Fidelidade a Deus (Mt 9, 9-22).

§  Chamamento de Mateus - Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado no posto de cobrança, e disse-Lhe: «Segue-Me!» E ele levantou-se e seguiu-O.

Encontrando-se Jesus à mesa em sua casa, numerosos cobradores de impostos e outros pecadores vieram e sentaram-se com Ele e Seus discípulos. Os fariseus, vendo isto, diziam aos discípulos: «Porque é que o vosso Mestre come com os cobradores de impostos e os pecadores?»

Jesus ouviu-os e respondeu-Lhes: «Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Ide aprender o que significa: Prefiro a misericórdia ao sacrifício. Porque Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.»”. (Mt 9, 9-22).

§    Ter fé, é confiar em Deus;

§    A fé é viver o que se acredita;

§    O fanatismo não é ter fé;

§    A fé, dá frutos a quem acredita – “Sem mim nada podeis fazer”;

§    A fé é a nossa salvação – “A fé é que nos salva”;

§    Resumindo: a fé é acreditar sem ver;

o   “Esperança” – “Esperamos” que a nossa oração mude algo porque…

§    Deus é omnipresente, misericordioso e cumpridor das Suas promessas.

§    O cristão espera a salvação, (1 Ts 5, 8).

Ø     Estudo e explicação do Regulamento (art.º 5.º a 12.º):

o        Art.º 5.º: Dos responsáveis e Colaboradores do Rancho;

“Cada Rancho de Romeiros terá: Mestre, Contramestre, Procurador de Almas, Lembrador de Almas, dois Guias e dois ou mais Ajudantes.

Nota: O Mestre e o Contramestre são considerados os Responsáveis pelo Rancho e os demais são Colaboradores”.

o        Art.º 6.º: Da nomeação do Mestre e do Contramestre;

“O Mestre e o Contramestre são nomeados pelo Pároco da localidade, ouvido o Conselho Pastoral. Podem também ser propostos por um grupo de paroquianos, que sejam ou tenham sido Romeiros, dispensando-se, neste caso, a audição do Conselho Pastoral. A escolha deverá recair em paroquianos, cristãos conscientes, piedosos, humildes, zelosos e cumpridores das suas obrigações de católicos, que tenham qualidades de liderança e chefia. Da nomeação do Contramestre, deverá ser ouvido o Mestre.

Nota: Excepcionalmente, a nomeação do Mestre poderá recair em cristão de fora da localidade, mas suficientemente conhecido pelo respectivo Pároco. Quando assim acontecer, o Contramestre deverá ser forçosamente um residente”.

o        Art.º 7.º: Da duração do mandato dos Responsáveis;

“O mandato do Mestre e do Contramestre, durará cinco anos, renováveis para um segundo e terceiro mandato. Só excepcionalmente, é que haverá mais de três mandatos, se a maioria dos membros do Rancho estiver de acordo”.

o        Art.º 8.º: Das atribuições do Mestre;

1.    Compete ao Mestre:

b)    Superintender em tudo o que possa conduzir ao bom êxito da Romaria.

c)     Usar de caridade e justiça para com todos os Irmãos, de maneira que o respeitem e o estimem.

d)    Conservar a paz, harmonia e disciplina entre todos os Irmãos do Rancho, na preparação e durante a caminhada.

e)     Providenciar para que sejam observadas as normas do Regulamento e praxes tradicionais da Romaria, evitando a introdução de modificações ou abusos.

f)      Tomar providências para que o Rancho participe na Eucaristia todos os dias.

g)     Fazer diariamente, sempre que possível pela manhã, uma leitura bíblica e meditação, escolhidas e preparadas antecipadamente, se possível com o Pároco.

h)    Regular a marcha, determinando as suas interrupções para descanso dos Irmãos, necessidades fisiológicas e refeições.

i)      Cuidar da saúde dos Romeiros, providenciando, se necessário, a ida dos doentes aos Centros de Saúde ou Postos de Socorro mais próximos; em caso de maior gravidade, providenciar pelo transporte do doente a casa, determinando quem o deverá acompanhar, se for necessário.

j)      Não permitir o consumo de água durante a caminhada, isoladamente ou em demasia, só quando autorizada a todos; exceptuam-se os Irmãos que, como penitência especial, fazem a Romaria a “pão e água”.

k)     Designar quem deverá fazer a Oração em cada Igreja ou Ermida; a Oração da manhã, da noite (na pernoita) ou às refeições (antes e depois).

l)      Zelar pela fidelidade às Orações pedidas ao Rancho, que deverão ser rezadas em voz alta.

m)   Velar pela segurança rodoviária dos Romeiros, durante as caminhadas nocturnas do Rancho, devendo os últimos Romeiros das duas alas serem portadores de faixas de material fluorescente, para que o Rancho seja melhor identificado.

2.        Compete ainda ao Mestre, ouvido o Contramestre:

a)       Nomear os colaboradores do Rancho.

b)       Determinar a semana da saída e os locais de pernoita.

c)       Definir previamente o itinerário, alterá-lo, excepcionalmente, se for necessário.

d)       Orientar a admissão dos Irmãos, devendo pedir opinião ao Pároco, que decidirá nos casos controversos.

e)       Cuidar da preparação da Romaria e dos Romeiros.

f)        Determinar a hora de saída das localidades das pernoitas.

g)       Organizar e preparar os encontros, reuniões ou outras actividades do Pós-Romaria.

h)       Emitir opinião sobre os Romeiros que queiram integrar o “Grupo Paroquial de Romeiros”.

o        Art.º 9.º: Das atribuições do Contramestre;

Compete ao Contramestre:

1.       Desempenhar as funções do Mestre nas ausências deste.

2.       Cooperar e coadjuvar o Mestre nas matérias referidas no n.º 1 do artigo anterior.

3.       Emitir opinião nas matérias referidas no n.º 2 do artigo anterior”.

o        Art.º 10.º: Da nomeação e atribuições do Procurador das Almas;

O Procurador de Almas é o Romeiro, nomeado pelo Mestre, que recebe e faz a contagem das Orações pedidas pelo povo, durante a caminhada. A contagem poderá ser feita, como é tradicional, pelas contas do terço, devendo indicá-la ao Mestre para que o Rancho as reze, quando aquele julgar conveniente. As Orações e pedidos especiais deverão ser logo rezados pelo Rancho. O Mestre poderá designar um dos seus ajudantes para colaborar com o Procurador, nos casos de maior necessidade (saídas de Missas, passagem em algumas Freguesias, etc.)”.

o        Art.º 11.º: Da nomeação e atribuições do Lembrador das Almas;

“O Lembrador das Almas é o Romeiro, nomeado pelo Mestre, que, durante a caminhada, tem a seu cargo anunciar e pedir Orações especiais. Deverá fazê-lo interrompendo o canto da Avé Maria, em voz alta e perceptível por todos, com uma «Salva» (Seja bendita e louvada a Sagrada Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo), ao que todos respondem: «Seja para sempre louvado com Sua e Nossa Mãe, Maria Santíssima», seguindo-se o pedido da Avé Maria. Deverá ainda fazê-lo à passagem do Rancho pelos cemitérios, pedindo pelas almas daqueles que lá estão sepultados”.

o        Art.º 12.º: Da nomeação e atribuições dos Guias;

“Os Guias são os Romeiros, nomeados pelo Mestre, que conduzem o Rancho pelo itinerário previamente traçado. Se surgirem dúvidas com o Rancho em andamento deve-se pedir, sem parar e através de sinais, ao Mestre ou Contramestre que indique o caminho a seguir”.

------ I n t e r v a l o ------

Ø     PARTE PRÁTICA: “Formatura - Canto da Avé Maria”                                

Ø     Formatura:

o   Teremos uma reunião na Igreja para trabalharmos as entradas nas Igrejas;

o   Formatura em frente às igrejas;

o   Exemplificar com 6 irmãos;

o   Olhar em frente e não para os lados;

o   Os oradores são previamente seleccionados pelo Contra-Mestre;

o   O início da Marcha ou andamento – Contra-Mestre;

o   Interrupções da Avé Maria - Lembrador das Almas;

Ø     Canto da Avé Maria – tom e cadência – introdução de salvas;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião: Na Igreja;

Ø     Outros avisos;

Ø     Oração Final;


Rectângulo arredondado: 5ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Respeito ao local onde estamos (Igreja);

Ø     Resumo da última reunião de preparação;

Ø     Início da Quaresma:

o    Quarta-feira de cinzas;

o    40 dias para encontramo-nos com o Senhor;

o    Por isso, cantaremos em todas as Missas (19:00h);

Ø     A importância do canto:

o    Cantar é rezar 2 vezes;

o    Importância do Canto na romaria;

o    O nosso Grupo Coral;

o    O papel de cada um no Grupo Coral;

o    Aos que não têm jeito – a presença é fundamental;

o    Como disse o Pe. José Borges: “não dói nada”;

o    Espírito de Irmandade;

o    Originalidade do cânticos – ninguém canta os nossos cânticos;

o    Cantaremos outros cânticos – estes são os principais;

Ø    E N S A I O:

o    CÂNTICO DE ENTRADA: “Povo de Deus”

1.  Somos o povo por Deus escolhido,

P'ra caminhar na presença de Deus.

Refrão:  Cantai comigo, louvai comigo,

Povo de Deus, na casa do Senhor.

2.  Louvai a Deus no Seu Santuário,

Agradecei a vida e o amor.

3.  Cantai a Deus um cântico novo,

P'las maravilhas que Ele operou.

4.  Servi a Deus com muita alegria,

Deus nos dará a paz e o perdão.

5.  Somos o povo de Deus protegido,

Dos maus caminhos e erros da vida.

o    KYRIE: “Senhor tem piedade de Nós”

Senhor tem piedade de nós, somos o Teu povo pecador.

Toma a nossa vida, de pecado e dor,

Enche-nos do Espírito de amor.

Cristo tem piedade de nós, somos o Teu povo pecador.

Toma a nossa vida, de pecado e dor,

Enche-nos do Espírito de amor.

Senhor tem piedade de nós, somos o Teu povo pecador.

Toma a nossa vida, de pecado e dor,

Enche-nos do Espírito de amor.

o    ACLAMAÇÃO DO EVANGELHO: “Glória a Vós ó Cristo”

Glória a Vós, ó Cristo, palavra de Deus. (Bis)

o    OFERTÓRIO: “Os Peregrinos”

Refrão:  Os Peregrinos, vão ao encontro,

Do seu Senhor e seus caminhos. (Bis)

1.   Subiremos montanhas sagradas,

Colinas suaves do amor cristão.

Lá do alto Jesus nos acena,

Mostrando o caminho da salvação.

2.   Vamos seguindo para o altar,

Onde Jesus se no Pão.

Vamos dizer pelo cantar,

A prece do coração.

3.   Deus que desceu do alto céu,

Veio servi-nos de farol.

Neste caminho envolto em véu,

Em busca do grande Sol.

4.   É o sacrifício de Jesus,

Que se renova uma vez mais.

Para o cristão ter nova luz,

E a força para seus ais.

 

o    SANTO: “Santo, santo é o Senhor”

Santo, Santo é o Senhor. Santo, é eterno o seu amor.

Rezado: O Céu e a terra proclamam a vossa Glória, hossana nas alturas,

Bendito o que vem em nome do Senhor, hossana nas alturas.

Santo, Santo é o Senhor. Santo, é eterno o seu amor.

o    CORDEIRO DE DEUS: “Cordeiro de Deus”

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo,

Tende piedade de nós, tende piedade de nós.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo,

Tende piedade de nós, tende piedade de nós.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo,

Dai-nos a paz, dai-nos a paz.

o    ou: “Ó Romeiro”

Ó romeiro, ó romeiro, ó romeiro desta Romaria,

Ó romeiro, ó romeiro, ó romeiro com o terço a rezar,

Se algum dia, ó romeiro, o temor te impeça de agir.

Não te esqueças, que levas O Cristo,

E que tudo consegues com Ele.

Não te esqueças, que levas O Cristo,

E que tudo consegues com Ele.

o    COMUNHÃO: “Bendita foi a hora e o dia”

Refrão:  Bendita foi a hora e o dia,

Em que Jesus, na mesa ofereceu,

O pão e o vinho, a todos repartiu,

E consagrou, em corpo e sangue seu.

1.   O Pão de Deus, desceu do céu,

Para nos a dar, a vida todos nós.

2.   Quem vem a mim, não terá fome,

Quem crê em mim, jamais terá sede.

3.   Não só do pão, o homem vive,

Mas da palavra, da boca de Deus.

4.   Quem nos convida, é Jesus Cristo,

À sua mesa, vamos comungar.

5.   O Pão da vida, vou comungar,

É Sacramento, vivo do seu amor.

o    FINAL: “Romeiros de Vila Franca”

1.  Somos peregrinos a caminhar, pelas estradas,

Seguimos Jesus, em seu louvor, sempre a rezar.

E lá no céu a nos guiar, Nossa Senhora,

Para chegarmos, à nossa terra, em boa hora.

2.  O Arcanjo do céu, a nos proteger, é São Miguel,

O nosso Senhor da nossa terra, é Jesus da Pedra.

E lá no monte a abençoar, a nossa vida,

Senhora da Paz, sempre a olhar, a nossa Vila.

3.  Nós somos irmãos, de Vila Franca, e Vos saudamos,

Boa noite Senhor, boa noite Senhora, abençoai-nos.

Vimos te pedir, neste cantar, a vossa bênção,

Para descansar e poder moldar, nosso coração,

 

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião – No Externato;

Ø     Outros avisos;

Ø     Hora da Missa;

Ø     Oração Final;

 

Anexos necessários:

·      Cânticos para os ensaios;


 6ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Resumo da última reunião de preparação - Inscrições;

Ø    PARTE DOUTRINAL: “A Oração”                                                               

o   O que é orar? ou O que é rezar? É falar com Deus.

o   Semelhanças e diferenças;

o   Necessidades da oração (Jo 14, 21). Senhor, ensina-nos a orar (Lc 11, 1-4);

O Pai-Nosso – Sucedeu que Jesus estava algures a orar. Quando acabou, disse-Lhe um dos seus discípulos: «Senhor, ensina-nos a orar, como João também ensinou os seus discípulos.» Disse-Lhes Ele: «Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o Teu nome; venha o teu Reino; dá-nos o nosso pão de cada dia; perdoa os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo aquele que nos ofende; e não nos deixes cair em tentação.»” (Lc 11, 1-4).

o   “Formas” de oração:

§      Pessoal e Comunitária;

§      Em voz alta e no silêncio;

§      Meditada ou Meditação em conjunto (muito importante na Romaria);

§      Leitura Bíblica;

Ø     Livros ou Documentos da Igreja:

o   Missal Dominical:

§    Ano A, B e C;

o   Missal Ferial:

§    Ano Par e Ímpar para as Leituras;

§    O Evangelho é sempre igual;

o   Livro Liturgia das Horas;

o   Concílio Vaticano II (Leis da Igreja);

o   Catecismo da Igreja Católica (Doutrina ou Catequese da Igreja);

o   Bíblia – “Quem tem uma Bíblia em casa?”;

Ø     A Bíblia:

o   O que é a palavra Bíblia? Livros.

o   O que é a Bíblia? A palavra de Deus dirigida aos amos.

o   Em quantas partes se divide? 2, o antigo e o novo testamento.

o   Quem é o autor principal? Deus.

o   E o autor secundário? É o escritor sagrado: Profetas, Evangelistas, S. Paulo...

o   Em quantas partes se divide? 2, o antigo e o novo testamento.

o   Quantos livros tem AT e o que é?

§    46 Livros – História do povo de Deus, desde as origens à vinda de Jesus.

o   Quantos livros tem NT e o que é?

§    27 Livros – História do povo de Deus, desde a vinda e vida de Jesus aos inícios da Igreja.

o   Cada livro tem vários temas, como se designa? Capítulo.

o   Cada capítulo tem várias identificações, como se designam? Versículos.

o   Em que material escrevem os Livros AC e DC? Em papiro e pergaminho.

o   Diferença de ambos? Papiro: planta do Egipto – Pergaminho: pele de cordeiro.

o   Em que língua foi escrito? Aramaico, Grego e Hebraico.

§    Mais tarde, foram todos traduzidos para o Latim.

§    Só depois foram traduzidos para todas as línguas.

Ø     ESTUDO:

o   Ler a Bíblia é estudar;

o   “Uma hora de estudo, é uma hora de oração”;

------ I n t e r v a l o ------

Ø     Estudo e explicação do Regulamento (art.º 13.º a 14.º);

o        Art.º 13.º: Da nomeação e atribuições dos ajudantes;

Os ajudantes são os Romeiros que, nomeados pelo Mestre, auxiliam e colaboram com ele, nas seguintes funções:

1 -    Fazer as Orações nos templos por ele indicados.

2 -    Cooperar com o Mestre nas Orações comunitárias do Rancho «Rezas» e Orações pedidas, «1.º Terço do dia», «lembrar as almas», «salvas», etc.

3 -    Coordenar as refeições, providenciando, como despenseiros, a compra dos alimentos e bebidas, quando for caso disso.

4 -    Cooperar com o Mestre e o Contramestre em todos os casos imprevistos.

o        Art.º 14.º: Da admissão dos Romeiros;

Somente deverão ser admitidos como romeiros:

1 -   Homens dotados do uso da razão, com capacidade para participar nos Sacramentos da Penitência e da Eucaristia e que habitualmente procuram cumprir os Mandamentos da Lei de Deus e da Santa Igreja.

2 -   Homens com espírito de obediência para aceitar e cumprir as normas do Regulamento e as que lhes forem determinadas pelos responsáveis, bem como com saúde suficiente para poderem fazer a caminhada.

Nota: Os residentes de outras localidades, não conhecidos dos responsáveis do Rancho onde pretendem incorporar-se, devem ser portadores de credenciais dos respectivos Párocos, para o Mestre ajuizar das qualidades exigidas para a Romaria.

Ø     PARTE PRÁTICA: “Como rezar em romaria”                                          

Ø     A Oração na Romaria:

o   O canto da Avé Maria;

o   A dos oradores e as “Salvas”;

o   As pedidas pelas pessoas – a nossa obrigação de as “pagar”;

o   As destinadas às pernoitas – quais os “destinatários”? Que maravilha!;

o   As das refeições e as “dos agradecimentos” de algo que nos oferecem;

o   As “nossas” Orações dos terços – sem “destino”.

Ø     Diferença das Rezas pedidas das rezas pessoais:

o   Rezas Pedidas: como rezar e quem autoriza (Contra-Mestre);

o   Rezas Pessoais: quem autoriza (Mestre)

Ø     Formas de rezar na Romaria (rezas pedidas):

o   Avé Maria: reza calada – escolha do melhor sítio – reza bem feita;

o   Pai-Nosso: em voz alta;

o   Glória: em voz alta;

o   Salvé Rainha: em voz alta;

Ø     Formas de rezar na Romaria (rezas pessoais):

o   Avé Maria cantada;

o   No intervalo da Avé-Maria ou da Santa Maria;

o   Quando termina as rezas pedidas;

o   Nos Intervalos;

Ø     Recomendar a não visita assídua de Famílias:

o   Excepto “Dia da família”;

o   Refeições oferecidas;

o   Domingo: Missa no Convento da Esperança – 06:00h;

Ø     Preparar alternativas para Pernoitas – Ajudas – Casa particular;

o   Relembrar que todos são chamados para acolher romeiros;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião;

Ø     Oração Final;

 

Anexos necessários:

·      Livros para mostrar:

o       Missal Dominical

o       Missal Ferial:

o       Livro Liturgia das Horas;

o       Concílio Vaticano II (Leis da Igreja);

o       Catecismo da Igreja Católica (Doutrina ou Catequese da Igreja);

o       Bíblia;

·      Esquema da Bíblia;


Rectângulo arredondado: 7ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Resumo da última reunião de preparação - Inscrições;

Ø     Parte Doutrinal: “A Vida em Graça”                                                            

o   O que é? É fundamental viver em graça.

o   Necessidades permanentes (Mc 4, 24-25).

A medida – E prosseguiu: «Tomais sentido no que ouvis. Com a medida que empregardes para medir é que sereis medidos, e ainda vos será acrescentado. Pois àquele que tem, será dado; ao que não tem, mesmo aquilo que tem, lhe será tirado.»” (Mc 4, 24-25).

o   É um bem indispensável, juntamente com a Paz (1 Cor 1, 1- 3); (2 Cor 1, 1-2).

 “Saudação – Paulo, chamado por vontade de Deus a ser apóstolo de Cristo Jesus, e Sóstenes, nosso Irmão, à Igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados a ser santos, com todos os que em qualquer lugar invocam o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: graça e paz vos sejam dadas da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo”. (1 Cor 1, 1-3).

Saudação – Paulo, apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, e o Irmão Timóteo, à Igreja de Deus que está em Corinto, como a todos os santos que estão na Ásia inteira, a vós, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo”. (2 Cor 1, 1-2).

o   Definições da graça:

§    A Graça é um dom de Deus;

§    Carisma = dom;

§    Viver em graça é viver em comunhão;

§    Comunhão = comum + união;

§    A graça é uma comunhão permanente;

§    A graça de Deus, faz-nos homens novos;

o   O pecado:

§    Noção;

§    O pecado mortal e a Graça.

§    Desaparece a Graça de Deus, enquanto existir o pecado;

o   O “Perdão” e os “Pecados”;

§    O Perdão (Mt 18, 21-22);

Perdão na Comunidade – Então, Pedro aproximou-se e perguntou-Lhe: «Senhor, se o meu Irmão me ofender, quantas vezes lhe deverei perdoar? Até sete vezes?». Jesus respondeu: «Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete»”. (Mt 18, 21-22).

§    Nós somos portadores do perdão de Deus (Mt 5, 23-26);

Jesus e a Lei – (…) Se fores portanto, apresentar uma oferta sobre o altar e ali te recordares de que o teu Irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; depois, volta para apresentar a tua oferta. Com o teu adversário mostra-te conciliador, enquanto caminhardes juntos, para não acontecer que ele te entregue ao juiz e este à guarda e te mandem para a prisão. Em verdade te digo: Não sairás de lá até que pagues o último centavo»”. (Mt 5, 23-26).

§    O perdão nas Romarias;

§    Uma Romaria pode ter valor infinito na expiação dos nossos pecados.

o   O Sacramento da Penitência.

§    A finalidade e necessidade do Sacramento.

§    A “crise” do Sacramento neste momento.

§    O dom deste Sacramento é dos maiores;

o   A vida em Graça nas Romarias:

§    Nova reconciliação, se pecar durante a caminhada;

§    Missa diária e Comunhão diária;

§    Na ausência de Missa – celebração da palavra;

Ø     Estudo e explicação do Regulamento (art.º 15.º a 19.º):

o        Art.º 15.º: Admissão;

“Poderão ainda ser admitidos como Romeiros homens baptizados que, tendo dissolvido o seu casamento por divórcio, tenham a sua situação familiar estabilizada publicamente por casamento civil.

Nota – Neste caso, o Romeiro cumprirá o que o Magistério da Igreja Católica Universal determina em tal situação: não podendo receber a absolvição, participará na Santa Missa sem comungar (Catecismo da Igreja Católica, n.º 1650.)”

o        Art.º 16.º, 17.º, 18.º e 19.º: Da preparação;

§         Art.º 16

“A preparação das Romarias compreende tudo o que envolver a saída do Rancho da Paróquia, bem como a preparação próxima dos que sejam admitidos à Romaria”.

§         Art.º 17

“A preparação próxima dos Romeiros deverá ter uma componente prática e outra doutrinal, esta preparação, em conjunto, não poderá ser inferior a 20 horas, sob pena de não participação na Romaria. Excepcionalmente, poderá ser dispensado o Romeiro já experiente na parte prática”.

§         Art.º 18

“A preparação próxima tem ainda como objectivo a criação de um espírito de grupo (amizade, harmonia e fraternidade) entre os Romeiros, de verdadeira comunhão, pelo que os admitidos à Romaria devem logo começar a tratar-se por «irmãos». Por deferência, o tratamento dos responsáveis deverá ser o do cargo, antecipado de Irmão (Ex. Irmão Mestre) e o dos demais pelo nome ou apelido. Devem ser evitadas alcunhas.

Nota: Se, na admissão ou durante a preparação, os responsáveis tomarem conhecimento que dois ou mais Irmãos estão desavindos entre si, o Mestre procurará, como bom pai de família – em separado, se os conhecer ambos, que se reconciliem entre si, com a advertência de que se mantiverem a desavença, não se poderão incorporar no Rancho”.

§         Art.º 19

1 –   Componente prática da preparação dos Romeiros compreende:

a)       A exercitação do canto da Avé Maria, das «Salvas», dos cânticos para as Missas, das Orações nas Igrejas e Ermidas e noutras ocasiões especiais.

b)       A leitura e comentário das normas do Regulamento, no que tocar às Romarias Quaresmais.

c)       O perfeito conhecimento do sentido de cada oração pedida e as consequentes obrigações próprias dos Romeiros.

d)       A indumentária (roupa e calçado) dos Romeiros – exigências e experiências.

e)       O modo de ser e estar (comportamento) do verdadeiro Romeiro.

2 –   A componente doutrinal deverá compreender a leitura, meditação e reflexão bíblica sobre temas ligados aos valores evangélicos: Penitência e Oração; conversão e reconciliação; vida em Cristo (Graça); Virtudes Teologais (Fé, Esperança e Caridade); fraternidade (aceitação, partilha, etc.) ou outros que vão ao encontro das necessidades do Rancho.

3 –   A componente prática fica a cargo dos responsáveis pelos Ranchos, podendo, numa experiência de comunhão, ser convidados os membros do Grupo Coordenador ou os responsáveis de outros Ranchos.

4 –   A componente doutrinal deverá ficar a cargo do Pároco, ou dos responsáveis pelo Rancho, ou, se for julgado conveniente e depois de ouvido o Pároco, poderão ser convidadas outras pessoas: Sacerdotes, Religiosos ou Leigos.

------ I n t e r v a l o ------

Ø     PARTE PRÁTICA: “Como rezar o Terço”                                               

  1. Sinal da Cruz e reze o Credo.
  2. “Pai-Nosso”
  3. Oferecimento das Três "Ave Marias". (Geralmente são rezadas no final do Terço)
  4. “Glória ao Pai". (alguns Terços não trazem a conta do “Glória ao Pai”)
  5. Anuncie o Primeiro Mistério; depois então o "Pai Nosso".
  6. Dez "Ave Marias", enquanto medita sobre o mistério.
  7. Diga o "Glória ao Pai".
  8. Depois de cada dezena reze a seguinte oração pedida pela Virgem Maria em Fátima: "Ó Maria concebida sem pecado: rogai por nós que recorremos a Vós".
  9. Anuncie o Segundo Mistério: depois o “Pai Nosso”.
  10. Diga a "Salve Rainha" depois que terminar as cinco dezenas.
  11. Geralmente, os Mistérios Gozosos são recitados nas segundas e quintas-feiras; os Mistérios Dolorosos nas terças e sextas-feiras e, os Mistérios Gloriosos nas quartas e sábados. Dependendo do Tempo cada Mistério pode ser recomendado aos Domingos.

Nota: Quando o Terço do Rosário é recitado em voz alta por duas ou mais pessoas, uma pessoa lidera. Ele diz a primeira parte da oração. Todos os outros respondem o restante da oração. "Credo e a Salve Rainha" são recitados por todos juntamente.

 

Ø    Os Mistérios do Rosário:

MISTÉRIOS GOZOSOS: (Todas as Segundas-Feiras e Sábados)

Na primeira parte do Rosário, contemplamos os cinco Mistérios Gozosos, que contemplam a encarnação do Filho de Deus e Sua missão no mundo: 

1.º - Anunciação a Maria;
2.º - Visitação de Nossa Senhora a sua prima Isabel;
3.º - Nascimento de Jesus;
4.º - Apresentação do Menino Jesus no Templo e purificação de Nossa Senhora;
5.º - Perda e encontro do Menino Jesus no Templo.

MISTÉRIOS LUMINOSOS: (Todas as Quintas-Feiras)

Na segunda parte do Rosário, contemplamos os cinco Mistérios Luminosos, que contemplam a revelação do Reino de Deus já personificado em Jesus:

1.º - Baptismo de Jesus no rio Jordão;
2.º - Auto-revelação de Jesus nas Bodas de Caná:,
3.º - Anúncio do Reino de Deus por Jesus, com o convite à conversão;
4.º - Transfiguração de Jesus;
5.º - Instituição da Eucaristia.

MISTÉRIOS DOLOROSOS: (Todas as Terças e Sextas Feiras)

Na terceira parte do Rosário, contemplamos os cinco Mistérios Dolorosos, que contemplam a Paixão e Morte de Jesus:

1.º - Agonia de Jesus no Horto;
2.º - Flagelação de Jesus;
3.º - Coroação de espinhos;
4.º - Jesus carregando a cruz no caminho do Calvário;
5.º - Crucifixão e morte de Jesus.

MISTÉRIOS GLORIOSOS: (Todas as Quartas-Feiras e Domingos)

Na quarta parte do Rosário, contemplamos os cinco Mistérios Gloriosos, que contemplam a vitória de Jesus sobre a morte, o nascimento da Igreja e a glorificação de Maria:

1.o - Ressurreição de Jesus;
2.o - Ascensão de Jesus ao Céu;
3.o - Vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos;
4.o - Assunção de Maria;
5.o - Coroação de Maria no Céu.

Ø     O uso do telemóvel - proibição;

Ø     Pernoitas dos Ranchos:

o    Distribuir Mapa das Pernoitas;

o    “Arrumar os Ranchos”;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião – outros avisos;

Ø     Oração Final;

 

Anexos necessários:

·      Como rezar o Terço / mistérios do Rosário.

·      Mapa das Pernoitas;


8ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Resumo da última reunião de preparação - Inscrições;

Ø     PARTE DOUTRINAL: “Os Sacramentos”                                                     

o   Sacramento da Unidade (Jo 17,1-5).

 “Oração Sacerdotal de Jesus – Assim falou Jesus. Depois, levantando os olhos ao céu, exclamou: «Pai, chegou a hora! Manifesta a glória do Teu Filho, de modo que o Filho manifeste a Tua glória, segundo o poder que Lhe deste sobre toda a Humanidade, a fim de que dê a vida eterna: que Te conheçam a Ti, único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem Tu enviaste. Eu manifestei a Tua glória na Terra, levando a cabo a obra que Me deste a realizar. E agora Tu, Ó Pai, manifesta a minha glória junto de Ti, aquela glória que Eu tinha junto de Ti, antes de o mundo existir”. (Jo 17,1-5).

o   SACRAMENTOS: são 7;

o   O que são os Sacramentos:

§    São Actos salvadores de Cristo;

§    Os sacramento são sinais;

§    São os canais que nos levam à santificação (à graça de Deus);

o   1.º O Baptismo:

§    É a porta de todos os sacramentos;

§    É a união com Deus;

§    É receber Jesus Cristo;

§    Só nos baptizamos uma vez;

o   2.º A Confirmação ou crisma:

§    É o sacramento que nos une mais à Igreja;

§    O Bispo é o ordinário deste sacramento;

§    A confirmação é a nossa fortaleza para a vida adulta;

o   3.º A Reconciliação ou conciliação:

§    É o sacramento onde se obtém a misericórdia de Deus;

§    Reconciliar é reconhecer os nossos pecados;

§    Depois de confessarmos, recebemos a absolvição;

§    De volta à vida reconciliado com Deus;

o   4.º A Santa Unção ou unção dos Enfermos:

§    É o sacramento que prepara a nossa entrada na casa do Pai;

o   5.º Matrimónio ou casamento:

§    É a unidade de dois elementos – o casal;

§    O homem e a mulher deixam de ser dois e passam a ser apenas 1;

§    Compromisso com Deus;

§    Só podemos casar pela Igreja uma vez;

§    Ou, anulação do casamento;

o   6.º Ordem ou sacerdócio:

§    Homens baptizados escolhidos por Deus;

§    São participantes do Sacerdócio ministerial de Jesus;

§    São os pastores da Igreja;

o   7.º A Eucaristia:

§    É o sacramento do amor;

§    Encontro com Jesus;

§    É o alimento do cristão – comunhão;

Ø     Estudo e explicação do Regulamento (art.º 20.º a 24.º):

o        Art.º 20.º: Das condições Gerais a Observar;

“Todos os Romeiros devem:

1.       Participar no Sacramento da Reconciliação nas vésperas da partida, procurando manter-se em estado de graça para que a Romaria seja espiritualmente proveitosa. Se algum Romeiro, durante a caminhada, precisar de orientação espiritual ou de se reconciliar, deve manifestar esse desejo ao Mestre, para que este providencie o encontro com um Sacerdote”;

2.        Participar na Eucaristia todos os dias;

3.        Dar conhecimento ao Mestre das próprias falhas no cumprimento das normas do Regulamento referente às Romarias;

4.        Obedecer pronta e imediatamente às ordens do Mestre e acatar as suas admoestações com humildade, devendo evitar desculpas sem sentido;

5.        Visitar, quanto possível, todas as Igrejas e Ermidas da Ilha, que constam do itinerário previamente traçado pelos responsáveis do Rancho;

6.        Observar silêncio em todo o percurso mesmo nos descampados; se houver necessidade imperiosa de trocar algumas palavras durante a caminhada, deverão fazê-lo em voz baixa, de modo a que não se deixe de ouvir o canto da Avé Maria, bem como as Orações pedidas pelo Rancho e as súplicas dos fieis que se recomendam às Orações dos penitentes;

7.        Rezar, cantando, a Avé Maria e todas as saudações comuns, segundo a tonalidade própria e tradicional; rezar um Terço pelas intenções de quem os acolher durante a noite;

8.        Levar Terço, lenço de lã, xaile, saca para a comida e um bordão, tudo como é tradicional; durante todo o percurso, o xaile deve ser levado aberto sobre os ombros e o lenço sobreposto por cima dele;

9.        Contribuir, dentro das suas possibilidades, para as colectas feitas pelo Mestre;

10.    O Romeiro que, tendo feito a preparação, não puder, por motivo justificado, incorporar-se no dia da partida, pode ir ao encontro do Rancho no 1.º ou 2.º dia da caminhada, em local previamente combinado com o Mestre. A incorporação no Rancho faz-se, como é tradicional, após autorização e com o Rancho parado, beijando o Crucifixo, cumprimentando o Mestre e todos os demais irmãos;

11.    O Romeiro que, por motivo grave e justificado, tenha de abandonar o Rancho, deve, com este parado e após autorização e consentimento do Mestre, despedir-se de todos os Irmãos, recomendando-se às suas Orações e considerando-se vinculado ao Rancho para as Orações pedidas”.

o        Art.º 21.º

 “Os Romeiros não devem:

1.        Fumar, comer, beber ou falar com o Rancho em andamento;

2.        Sair do Rancho e entrar em qualquer loja ou estabelecimento sem autorização prévia do Mestre, que apenas a dará em caso de absoluta necessidade;

3.        Fazer penitências especiais sem conhecimento do Mestre. O tradicional “pão e água” ou outras penitências devem ser do conhecimento do Pároco da localidade, a fim de ser encontrada, com o penitente, uma forma alternativa para o seu cumprimento, na eventualidade de algum imprevisto ou impossibilidade. Essa alternativa deverá ser comunicada ao Mestre;

4.        Dar esmolas isoladamente durante a caminhada, sem o consentimento do Mestre;

5.        Abandonar o Rancho;

6.        Visitar parentes ou amigos nas Freguesias onde o Rancho passar;

7.        Usar telemóvel;

8.        Levar consigo bebidas alcoólicas;

9.        Sair de noite depois de recolhidos.

Nota 1: O Mestre poderá autorizar o uso de um telemóvel no Rancho, para casos de emergência.

Nota 2: Poderá ainda ser autorizado o uso de um outro, por motivos profissionais”.

o        Art.º 22.º: Da caminhada propriamente dita;

“Todos os Ranchos devem ser portadores de um Crucifixo de média dimensão, o qual deverá ser levado à frente por um dos Romeiros mais jovens, que seguirá no meio dos dois guias”.

o        Art.º 23.º

“O Rancho, salvo quando estiver em Oração conjunta (altura em que poderá caminhar de forma diferente), deverá ser formado com os Romeiros em duas alas, devendo os bordões ser levados na horizontal, pelo lado de dentro das alas. O Terço deverá ser levado na mão contrária à do bordão.

Nota: Salvo em casos excepcionais, o Rancho deverá manter forma organizada, mesmo fora das localidades, o canto da Avé Maria poderá ser substituído pela Oração comunitária ou por Oração individual em silêncio meditativo”.

o        Art.º 24.º

“Após a saída da respectiva Paróquia, o Mestre, logo na primeira paragem possível, já sem a presença de outros paroquianos, pode convidar todos os Romeiros a uma eventual reconciliação entre si, com vista a que a peregrinação seja uma caminhada em autêntica comunhão. Mantendo-se desavenças que impeçam a união fraterna, deve o Mestre providenciar a saídas dos desavindos.

Nota: Se as referidas desavenças ocorrerem durante a caminhada, o procedimento será idêntico”.

------ I n t e r v a l o ------

Ø     PARTE PRÁTICA: “A Indumentária”                                                   

Ø     Fim das inscrições;

o   A indumentária:

§      A indumentária tradicional: Xaile, Lenço, Saca (Sovadeira), Bordão, Terço.

§      Uso e manutenção.

§      Terço e lenço: sempre aos ombros, até ao deitar;

§      A Campainha nos dias de hoje: Nos nossos dias, a campainha serve de aviso a todos, aviso este, que pode ser de paragem (durante o andamento) ou de preparação (durante as refeições ou descansos);

Xaile                                                           Lenço                                              Saca ou Sovadeira

Bordão                                   Terço e medalhas dos xailes                                    Campainha

§      A Campainha antigamente: Nos nossos antepassados a campainha também servia de “despertador”, isto é, um irmão corria a Localidade onde pernoitavam e tocava pelas ruas;

§      Apenas o Mestre é possuidor da Campainha;

§      Esclarecer alguma dúvida dos Irmãos;

o   Simbolismo da Indumentária:

§      A simbologia está ligada à imagem de Jesus - Senhor Santo Cristo dos Milagres:

·     Saca = Cruz;

·     Xaile = Capa de Jesus ou da Imagem;

·     Lenço = Coroa de Espinhos;

·     Terço = Corda que Jesus foi amarrado;

·     Bordão = a cana que lhe foi colocada na mão;

Ø     Pernoitas dos Ranchos: “Arrumar os Ranchos”;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião – outros avisos;

Ø     Oração Final;

 

Anexos necessários:

·      Regulamento (2ª Parte);


9ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Resumo da última reunião;

Ø     Parte Doutrinal: “A renúncia nas romarias – A comunhão da Igreja”          

o   O que é? Espécies. Para seguir Jesus Cristo é necessário renunciar a algo;

O discípulo e a renúncia – Seguiam com ele grandes multidões; e Jesus, voltando-se para elas, disse-lhes: «Se alguém vem ter Comigo e não me tem mais amor que ao seu pai, à sua mãe, à sua esposa, aos seus Irmãos e até à própria vida, não pode ser Meu discípulo. Quem não tomar a sua cruz para Me seguir não pode ser Meu discípulo”. (Lc 14, 25-27).

o   A renúncia voluntária tem mais valor. Há recompensa para o cristão que renuncia;

Recompensa do desprendimentoTomando a palavra, Pedro disse-lhe «Nós deixámos tudo e seguimos-Te. Qual será a nossa recompensa?» Jesus respondeu-Lhes: «Em verdade vos digo: No dia da regeneração de todas as coisas, quando o Filho do Homem Se sentar no Seu trono de glória, vós, que Me seguistes, haveis de sentar-vos em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver deixado casas, Irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos por causa do Meu nome, receberá cem vezes mais e terá por herança a vida eterna. Muitos dos primeiros serão os últimos, e muitos dos últimos serão os primeiros”. (Mt 19, 27-30).

o   Em que se traduz, nas Romarias “o pão e água”… voluntário.

Ø     II Parte: “A comunhão da Igreja nas Romarias”:

o   A partilha;

o   Irmãos – aceitação de tudo e das ordens do Mestre;

o   Sua necessidade nas Romarias e valor para o bom êxito das mesmas.

Ø     Estudo e explicação do Regulamento (Art.º 25.º a 27.º):

o        Art.º 25

“A peregrinação penitencial começa em cada dia, com a Eucaristia ou a Oração da manhã, à saída da localidade do Rancho ou da pernoita, terminando com a Oração da noite nas localidades de acolhimento. A Romaria só se considera interrompida para o descanso e para as refeições”.

o        Art.º 26

“Durante o percurso, o Rancho deverá parar para orar em todos os templos que existam no itinerário previamente traçado, quer estejam abertos, quer estejam fechados. Nos que se encontrarem abertos o Rancho deve sempre entrar, a não se que haja actos de culto.

Nota 1: Se no templo estiver a ser celebrada a Eucaristia ou qualquer outro acto de culto, o Rancho deve fazer a sua Oração, em voz baixa e à porta do templo, prosseguindo depois a caminhada, sem perturbar a celebração do acto de culto.

Nota 2: Se os templos estiverem fora do itinerário habitual, deve o Rancho parar, de preferência em local que os vislumbre, fazendo então uma Oração mais breve do que a habitual e tradicional. Pode a Oração ser feita em andamento, se houver menos tempo ou algum atraso”.

o        Art.º 27

“À passagem pelas Freguesias as pessoas costumam pedir Orações ao Rancho, perguntando o número de Irmãos, para que elas possam rezar em comunhão com os peregrinos. Rezarão tantas Orações quantos forem os Irmãos, ao que se deverá acrescentar, como é tradição, as pessoas de Jesus, Maria e José, que são considerados Romeiros”.

------ I n t e r v a l o ------

Ø     PARTE PRÁTICA: “A caminhada”                                                                        

Ø     A Caminhada (a romaria):

o   A Marcha ou andamento;

o   Importância de uma boa preparação – calçado;

o   O bordão a bordão – definição;

o   Cuidados a ter – nas localidades;

o   Silêncio – seja dentro ou fora das localidades;

o   Responsáveis pelo trânsito;

o   Cumprir o que está regulamentado:

§       Procurar visitar o máximo de Igreja e Ermidas possível;

§       Evitar “tempos mortos”;

§       Paragens prolongadas;

§       Nas paragens forçadas (Chuvadas), ocupar o tempo com meditação;

§       Manter forma organizada – Rancho formado;

§       Mesmo nas orações (igrejas ou refeições) – agradecimentos;

 

Ø     “Refeições”

o   Álcool:

§       Medidas permitidas;

§       Quem serve – procedimentos;

§       Adverter quem esconder bebidas;

o   Geralmente temos uma refeição quente (oferecida) e a outra da saca;

o   O que é refeição da Saca?

o   “Autênticos manjares” – não comer em restaurantes;

o   Não há carro da Assistência;

o   Levar Roupa até Quarta e de Quarta a Sábado;

Ø     Pernoitas dos Ranchos: “Arrumar os Ranchos”;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Fim das Inscrições;

Ø     Aviso da Próxima Reunião – Na Igreja;

Ø     Oração Final;

 


Rectângulo arredondado: 10ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Resumo da última reunião;

Ø    PARTE DOUTRINAL: “A Casa do Senhor”                                                     

o   O que é a casa do Senhor? A Igreja;

o   A Igreja é: Dom, mistério e tarefa;

§      Dom: quem tem talentos, deve pô-los a render (música);

§      Mistério: A Igreja é um mistério de fé;

§      Tarefa: É uma tarefa do povo de Deus;

o   “Quem vê a Igreja, vê Cristo”;

o   “Eu sou Igreja, tu és Igreja, nós somos a Igreja;

o   Cristo é a “cabeça” da Igreja, nós somos os membros, então somos chamados “corpo de Cristo”

o   Todos formamos um só corpo;

o   A Igreja conta com a criatividade e actividade dos Leigos (romeiros);

Ø     Explicação e nome de partes da Igreja;

o    Sacerdote ou Sacristão;

Ø     Entradas na Igreja:

o    Imaginar em frente à Porta;

o    Porta aberta e porta fechada – diferenças;

o    Formatura em frente às Igrejas;

o    Quatro em cada Banco;

o    Altura de ajoelhar;

o    Saídas das Igrejas;

o    Cuidados dos Guias;

------ I n t e r v a l o ------

 

Ø    E N S A I O:

o    CÂNTICO DE ENTRADA: “Senhor quem entrará”

1.  Senhor, quem entrará, no Santuário, p'ra Te louvar. (bis)

Quem tem as mãos limpas, o coração puro,

Quem não é vaidoso, e sabe amar. (bis)

2.  Senhor, eu quero entrar, no Santuário, p'ra Te louvar. (bis)

Ó dá-me as mãos limpas, um coração puro,

Arranca a vaidade, ensina-me amar. (bis)

3.  Senhor, já posso entrar, no Santuário, p'ra Te louvar. (bis)

Teu sangue me lava, Teu fogo me queima,

O Espírito Santo, inunda meu ser. (bis)

 

o    CÂNTICO DE ENTRADA: “Juntos como irmãos”

Refrão:  Juntos como Irmãos,

Membros de uma Igreja.

Vamos caminhando,

Ao encontro do Senhor.

1 -       No longo caminhar, pelo deserto pela dor,

Não podemos avançar, Sem a ajuda do senhor.

2 -       Unidos a rezar, unidos na mesma canção,

Vivemos a nossa fé, com a ajuda do senhor.

 

o    CÂNTICO DE OFERTÓRIO: “Formoso Botão de Rosas”

Refrão:  Formoso botão de rosas,

Que nasce ao romper do dia,

Ó Virgem tão formosa,

Eu Vos saúdo, ó Maria.

1.  Não há açucena mais pura, nem rosas nem malmequeres,

Que tenham mais formosura, do que Vós entre as mulheres.

2.  No céu Vós sois a Rainha, para que nossa alma entre,

Amaremos a Florinha, que é o fruto do Vosso Ventre.

3.  Ámen, ámen assim seja, sempre amaremos com fé,

Brilhantes astros da Igreja, Jesus, Maria e José.

 

 

o    CÂNTICO DA COMUNHÃO: “É Cristo quem nos convida”

Refrão:  É Cristo quem nos convida, vamos à mesa do Senhor,

Comungar o Pão da vida, Sacramento do amor.

1.  O Pão de Deus é o que desceu do céu,

Para dar a vida ao mundo.

2.  O que vem a mim nunca mais terá fome,

E o que crê em mim nunca mais terá sede.

3.  Não só de pão vive o homem,

Mas da palavra que vem da boca de Deus.

4.  Tomai e comei: Isto é o meu corpo,

Tomai e bebei: Este é o cálice do meu Sangue.

5.  Formemos todos um só Corpo,

Nós que comemos do mesmo Pão.

o    ACÇÃO DE GRAÇAS: “Segurança”      

Segurança, felicidade, eu encontro no Senhor,

É Ele, a minha rocha, meu Deus e meu libertador.

o    ACÇÃO DE GRAÇAS: “Eu te amo”      

Refrão:  Eu te amo, ó Senhor, Deus em quem, acreditei.

Ilumina, os meus caminhos e contigo, avançarei.

1.  Minha força e meu refúgio, eu te amo, ó Senhor.

Em ti ponho, a confiança, porque és, meu Salvador. (Refrão)

2.  Contra mim, se levantaram, inimigos poderosos.

Mas Deus veio, e recolheu-me, em seus braços, amorosos. (Refrão)

o    FINAL: “Senhora da Paz”

1. Senhora da Paz, de sereno olhar,

És p'ra nós a bela, estrela do mar.

Se há pescadores, nas ondas do mar,

Se há preces nos lábios, vais logo escutar.

Refrão:  Lá vão com Deus, sempre a remar,

Cada barquinha, um lindo Altar,

E lá no monte, a toda a hora,

Dai-nos a Graça, Nossa Senhora. (bis)

2.  E na nossa luta, de noite e de dia,

És a nossa esperança, ó Virgem Maria.

Sempre confiantes, na nossa oração,

É nosso Farol, o Teu Coração.

o    FINAL: “Boa noite, boa noite Maria”

Refrão:  Boa noite, boa noite Maria,

Boa noite, minha Mãe. (bis)

1.  O dia, foi lindo p'ra mim, foi lindo p'ra ti, harmonia.

Vivemos, na mesma cruz, juntos com Jesus, n’alegria.

2.  As horas, de contemplação, foram oração, em festa.

Agora, no fim deste dia, rezo ao Teu Jesus, Maria.

 

Ø     Pernoitas dos Ranchos: “Arrumar os Ranchos”;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião – no Externato;

Ø     Oração Final;

 

Anexos necessários:

·      Cânticos para os ensaios;


11ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø    PARTE DOUTRINAL: Estudo do “Sacrifício”                                              

o   O que é? Espécies e fins. Não ao sofrimento pelo sofrimento (Mc 8, 34-38);

“Condições para seguir Jesus – Chamando a Si a multidão, juntamente com os discípulos, disse-Lhes: «Se alguém quiser vir após Mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me. Na verdade, quem quiser salvar a sua vida, há-de perdê-la; mas, quem perder a sua vida, por causa de Mim e do Evangelho, há-de salvá-la. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder sua vida? Ou que pode o homem dar em troca da sua vida?

Pois quem se envergonhar de Mim e das Minhas palavras entre esta geração adúltera e pecadora, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na glória de Seu Pai, com os santos anjos»”. (Mc 8, 34-38).

o   O sacrifício nas Romarias:

§           Levantar cedo; dormir acompanhado; obediência ao Mestre; ouvir a campainha, etc;

§           Deixar a família uma semana;

§           Andar por grotas e ruelas; subir aos montes, etc;

§           Orar e fazer tantos sacrifícios pelos nossos inimigos; pelos assassinos!; pelos gatunos; pelos que nos ofendem; etc;

§           Aceitar o Irmão; a «cama»; a refeição, … no acolhimento.

§           Para que serve isto, se não mudarmos de vida;

Ø     Estudo e explicação do Regulamento (Art.º 28.º a 34.º).

o        Art.º 28.º

Se dois Ranchos se encontrarem durante o percurso, deve cada um dos Mestre providenciar para que os seus Romeiros cumprimentem os Irmãos da respectiva ala do outro Rancho, beijando sempre o Crucifixo.

Nota 1: Se não houver cruzamento propriamente dito de Ranchos, os Romeiros do que estiver parado, deverão levantar-se, e, em silêncio, fazerem uma Oração pelos penitentes que caminham.

Nota 2: Se o encontro ocorrer dentro duma Igreja, devem os Mestres combinar entre si o lugar e o modo como os Irmãos se devem cumprimentar”.

 

o        Art.º 29.º

“Durante as interrupções podem os Romeiros, em plena camaradagem e amizade de Irmãos, falar, fumar, rir e “brincar”, devendo, no entanto, manter a devida compostura e a atitude de verdadeiros peregrinos”.

o        Art.º 30.º

“Se durante a caminhada houver, por parte de algum Romeiro, comportamentos incorrectos, abusos sucessivos ou graves incumprimentos das normas do Regulamento, de ordens, directrizes ou instruções do Mestre, deve este, após a adequada admoestação em particular sem sucesso, ordenar que o prevaricador abandone o Rancho. Deverá recomendar que o mesmo tire a indumentária que identifica o Romeiro e ordenar que ele seja acompanhando até à sua residência por um dos seus colaboradores.

Nota 1: De imediato, ou logo na 1.ª paragem, deverá informar o Rancho do sucedido, bem como das diligências feitas”.

o   Lembrar as intenções do Senhor Bispo.

Intenções do Senhor Bispo – conforme exemplo abaixo:

1.      Pelo Santo Padre, para que continue a confirmar os Irmãos na fé.

2.      Pelo nosso Bispo, para que seja pastor à Imagem do Bom Pastor.

3.      Pelos nossos Sacerdotes, para que sejam fiéis e não desanimem.

4.      Pelos nossos Seminaristas, para que se preparem bem para o Sacerdócio.

5.      Pelas vocações sacerdotais, religiosas e missionárias.

6.      Pelas famílias, para que Deus as ajude nas suas dificuldades.

7.      Pelos doentes e idosos, para que nunca se sintam abandonados.

8.      Pelas crianças, para que sejam sempre bem tratadas.

9.      Pelos Irmãos, para que dêem exemplo de vida cristã.

10.  Pelas famílias dos Romeiros, para que Deus as abençoe.

11.  Pelos pobres, para que encontrem ajuda.

12.  Pelo nossa Região e os seus governantes, para que haja bem estar para todos.

Nota: Estas intenções são elaboradas pelo Senhor Bispo D. António de Sousa Braga e entregues ao Grupo Coordenador.

 

Ø     Mostrar roteiro da Romaria em PowerPoint.

------ I n t e r v a l o ------

 

Ø    PARTE PRÁTICA: Roupa e Artigos necessários                                                

·        Vestuário:

o       Xaile, Lenço, Saca, bordão e 2 Terços; (Obrigatório)

o       Roupa, de Sábado a Terça:

·        4 mudas de roupa interior (peúgas, cuecas, etc.);

·        1 ou 2 pares de calças (pode ser de fato-treino);

·        2 camisas ou camiseiros;

·        1 par de pantufas ou chinelos;

·        1 casaco, ou blusão, ou impermeável;

·        1 Pijama ou fato-treino (para dormir);

o       Roupa, de Quarta a Sábado:

·        3 mudas de roupa interior (peúgas, cuecas, etc.);

·        1 par de calças (pode ser de fato-treino);

·        1 ou 2 camisas ou camiseiros;

·        Artigos de Higiene:

o       1 Rolon ou desodorizante;

o       1 pente (pequeno);

o       1 rolo papel higiénico ou Lenços de papel;

o       1 Embalagem de “carícias” ou toalhetes;

o       Sacos de plástico (para roupa suja e túnel);

·        Artigos Clínicos:

o       1 pomada para assaduras (Lauroderme ou Halibut);

o       1 desinfectante/tintura para feridas ou bolhas de água, etc;

o       1 agulha com linha para bolhas de água;

o       1 pomada ou spray para dores musculares, etc;

o       Pensos com gaze para feridas ou ligaduras, etc;

o       Medicamentos para dores (Panasorbe, Brufen, etc);

·        Outros Artigos:

o       1 Lanterna ou “Pilha”;

o       1 Esferográfica;

o       Cigarros (de Sábado a Quarta e de Quarta a Sábado);

·        Comida/Alimentos:

o       Para acompanhar o pão: Queijo, chouriço, etc;

      Nota: Não levar muita quantidade;

o       Os enlatados e as bebidas são comprados na hora;

o       Água para o primeiro dia;

Ø   RESPONSÁVEIS DAS PENOITAS

§      Sábado - Fajã de Cima:

Irmão João Augusto Farias, Contacto 96 7150579

§      Domingo - Ginetes:

Irmão Gualberto, Contacto 91 4917694

§      Segunda - Capelas:

Irmão Eduardo Pereira, Contacto 296 989 225

§      Terça – Porto Formoso:

Irmão Paulo Silva, Contacto 296 442 376 – 96 7439662

§      Quarta – Feteira Pequena:

Irmão Manuel Francisco Costa, Contacto 296 452 481 – 91 6713786

§      Quinta – Água Retorta:

Irmão Ernesto Carreiro, Contacto 296 586 197 – 96 3661973

§      Sexta – Ribeira Quente:

Irmão Márcio Peixoto, Contacto 296 584 095 – 96 0293095

Ø     Importância de contactar os responsáveis pelas pernoitas;

Ø     Pernoitas dos Ranchos: “Arrumar os Ranchos”;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso da Próxima Reunião;

Ø     Oração Final;

 

Anexos necessários:

·      Artigos e Recomendações;

·      Responsáveis pelas pernoitas;

·      PowerPoint;


12ª Reunião de Preparação

Ø     Oração Inicial;

Ø     Resumo da última reunião;

Ø    PARTE DOUTRINAL: “Acolhimento”                                                         

o   A alegria está no dar e não receber;

o   A alegria com que nos recebem;

o   Dão-nos o seu melhor Quarto;

o   A melhor comida;

o   É preciso saber ser acolhido;

o   Prestar bem atenção – Pernoitas;

Ø     Estudo e explicação do Regulamento (Art.º 35.º a 36.º):

o        Art.º 31.º: Da Pernoita:

“Como atrás foi referido, a penitência do dia termina com o acolhimento e Oração da noite na localidade da pernoita. Após a Missa ou a Oração da noite, o Mestre, tomando o Crucifixo, distribui os Romeiros conforme a população vai pedindo, tendo a preocupação de juntar um Romeiro mais velho e experiente com um novo. Todos se despedem do Mestre, beijando também o Crucifixo, como é tradicional”.

o        Art.º 32.º:

“ Na casa que os acolhe, os Romeiros devem:

1.       Saudar, à entrada, os moradores, dizendo: «Seja bendita e louvada a Sagrada Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo», ou a forma abreviada: «Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo», ao que os presentes poderão responder: «Seja para sempre louvado com Sua e nossa Mãe, Maria Santíssima».

2.       Aguardar que os mandem sentar, lhes ofereçam banho, ou simplesmente água para lavar os pés, e a refeição.

3.       Falar com simplicidade e bom espírito cristão enquanto esperam pela refeição e durante a mesma, devem nunca murmurando, mas antes pondo em relevo os aspectos positivos da caminhada.

4.       Despedir-se das pessoas antes de se recolher ao quarto, e, agradecendo-lhes a hospitalidade, entregar o Terço do Rosário, que simboliza a Oração rezada pelas intenções da família, bem como uma pagela com a mensagem do Rancho, devidamente assinada.

5.       Evitar sair do quarto de dormir durante a noite e não utilizar outras instalações da moradia, à excepção do quarto de banho.

6.       Fazer o menor barulho possível ao erguerem-se, e, se houver alguém levantado, saudá-lo na forma habitual, e, à saída, agradecer-lhe a hospitalidade, dizendo, por exemplo: - «Ó Irmão, seja pelo amor de Deus e por alma dos seus», ou algo semelhante.

Nota 1: Depois dirigirem-se para o local combinado na véspera”.

o        Art.º 33.º:

“À medida que vão chegando, devem os Romeiros saudar os Irmãos já presentes, dizendo: - «Seja bendita e louvada a Sagrada Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Nossos Senhor Jesus Cristo», ou a forma abreviada: - «Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo», ao que os presentes respondem: - «Seja para sempre louvado com Sua e nossa Mãe, Maria Santíssima», e beijando o Crucifixo, cumprimentam o Mestre e os Irmãos”.

o        Art.º 34.º:

“Reunido o Rancho, será feita a Oração da manhã, concluída a qual se reinicia a marcha.

Nota: Se faltar algum Romeiro, o Mestre ordena que um dos seus ajudantes ou outro Romeiro experiente aguarde o faltoso, devendo depois esforçar-se para atingir o Rancho o mais depressa possível. Nessa altura, o Romeiro faltoso deve beijar o Crucifixo, e, dirigindo-se ao Mestre, cumprimentá-lo, justificando a falta e pedindo desculpa“.

o        Art.º 35.º

“Considerando que os Romeiros em peregrinação estão em comunhão com a sua comunidade paroquial, esta deverá celebrar a Eucaristia e outros actos de piedade pelas intenções dos Romeiros, durante a semana de peregrinação”.

o        Art.º 36.º

“Como é tradição, durante a Romaria há o chamado «Encontro da Família». Este é um momento em que a família vai participar um pouco na vida do Rancho, com Oração, alegria e partilha.

O ponto alto do encontro será a participação na Eucaristia juntamente com os Romeiros.

Após a Missa, haverá o almoço dos Irmãos com os respectivos familiares. É nesta ocasião que os Irmãos poderão abastecer-se com alimentos e roupa para o resto da caminhada.

Nota: São de evitar outros encontros dos Romeiros com a família. No caso que isso tenha de acontecer, seja feito apenas nos lugares de descanso ou das refeições conforme o estabelecido pelo Mestre”.

 

Ø  PERNOITA                                                                  

o   Ainda na Igreja:

§         Distribuição dos irmãos, ao acaso, sem comentários;

§         Saudação ao Mestre;

§         Pagelas -  são distribuídas pelo despenseiro;

§         Percurso até casa – conversar com os irmãos;

o   Na casa dos irmãos:

§         Calçado – se estiver sujo ou molhado;

§         Saudação à entrada – o 1.º diz e o 2º responde;

§         Indicações para o Quarto;

§         Calçado – se o quarto for no 2.º piso;

o   No Quarto:

§         Não demorar para o banho;

§         Não colocar nada em cima da cama;

§         Muito cuidado com o tirar do Xaile;

§         Tirar a sua roupa interior – ou muda de roupa;

§         Nunca vestir pijamas;

§         Levar o Terço e o Lenço sempre ao pescoço;

§         Para a sala – conversar;

o   Na Sala:

§         Um vai para a casa de banho e outro fica;

§         Vai sempre o mais novo na romaria;

§         Conversar coisas da romaria – fazer referência ao Ano Paulino;

§         Se os irmãos são reservados tentar puxar conversa delicadamente;

§         Televisão – não perguntar notícias de Futebol;

§         Estar sempre atento quando o outro acabar do banho;

§         Se o dono da casa for fumador, se ele autorizar podem fumar;

§         Não descuidar se o outro irmão já terminou o banho;

o   Na Casa de Banho:

§         Todos tomam duche – avisar ao Mestre no dia seguinte;

§         Nunca fumar na Casa de Banho;

§         Cores das torneiras;

§         Utensílios – não tocar em nada – apenas usar o que está disponível;

§         Respingar Água;

§         Enxugar na Banheira ou Polibanho – para não molhar o chão;

§         Sanita – antes e depois puxar a água e limpar;

§         Toalhas devem ser dobradas e colocadas no bidé;

§         O último deve sempre enxugar a casa de banho toda com a roupa suja;

§         Antes de sair ver se está tudo bem: Torneira, sanita, etc;

§         Levar sempre o Lenço e o Terço;

o   Na Mesa:

§         Nunca sentar antes da Oração;

§         Oração da comida – ou Pai Nosso e Avé Maria pela intenção do casal;

§         Comer sem receio;

§         Saber comer e beber;

§         Na bebida, beber o que oferecem – cuidado com as crianças (vinho);

§         Quando não se gosta da comida, fazer os possíveis para “nicar” (pão);

§         Ver se o segundo prato agrada, caso contrário pedir sopa, ou vis versa;

§         Não empatar;

§         No fim agradecimento;

§         Oferecer o Terço e as Pagelas assinadas;

§         Saber onde vão ficar os Terços;

§         Perguntar se vão levantar-se no dia seguinte;

§         Perguntar as luzes para a Casa de Banho – quem tem problemas;

§         Se por acaso o vício for muito, pedir permissão para ir ao quintal fumar;

o   Novamente no Quarto:

§         Não fazer barulho;

§         Fechar a porta;

§         Pijama;

§         Agora sim preparar as coisas;

§         Separar sempre a roupa suja da limpa;

§         Pomadas e curativos, os cuidados com os tapetes, etc;

§         Roupa para o dia seguinte, e saca pronta a seguir;

§         Ver se tem candeeiro, caso contrário lanterna;

§         Na cama, nada de barulho, dormir;

§         Despertador, sempre às 03:00h;

o   No dia seguinte:

§         Acender a luz do Quarto – para o irmão sabe que estamos acordados;

§         Pomadas;

§         Não demorar;

§         Muito cuidado no colocar o Xaile e o lenço;

§         Se sujamos alguma coisa, limpar;

§         Cobrir a cama;

§         Antes de sair do Quarto, olhar mais uma vez;

§         No caso de partimos alguma coisa, comunicar ao dono da casa e depois ao Mestre;

§         Não esquecer o nosso Terço;

§         Tomar o pequeno almoço, não fazer a desfeita;

§         Agradecer pela última vez;

o   No Igreja:

§         Saudação / Salva;

§         Manter-se em Silêncio;

§         Cumprimentar o Mestre – para controlar os que já chegaram;

§         Cuidado com os cigarros;

§         O resto serão orientados;

Ø  ÚLTIMOS AVISOS                                                           

§         Telemóvel;

§         Brincos e tranças – não venham com desculpas;

§         Orações para decorar – Salva, Espírito Santo, Refeições;

§         Tratar-se sempre por irmãos;

§         Unhas e Cabelo;

§         Calçado;

§         Higiene – Lavar-se todos os dias;

§         Rolon, roupa interior lavada todos os dias;

§         Quem tem alergias, levar os seus produtos;

§         Não esquecer a sua Medicação;

§         Levar sempre as Pantufas;

§         Manter sempre boa apresentação – Lenço e Xaile;

§         Numa paragem procurar ser o mais limpo possível;

§         Equipa de vistoria;

§         Cuspir ou escarrar diante de pessoas;

§         Pedir sempre licença para tudo;

§         Palavrões na Romaria;

§         Antes de cada intervenção comunicar ao Mestre;

§         Se o Mestre entender pode ser numa Igreja;

§         Críticas, pequenos Grupos;

§         O Mestre deve saber de tudo quanto se passa;

§         Álcool;

§         Nos refrescos, dar exemplo de obediências;

§         Os bordões sempre na vertical;

§         Os que bebem vinho, levar um copo de plástico para as refeições da saca;

§         As alas do Rancho;

§         Quem levanta a Avé Maria é o irmão Contra-Mestre;

§         Pode também ser o Lembrador das Almas;

§         Quem termina a Avé Maria é o Lembrador das Almas;

Ø     Pernoitas dos Ranchos: “Arrumar os Ranchos”;

Ø     Palavra ao Contra-Mestre;

Ø     Aviso das Horas;

o    03:30h: No Salão;

o    04:00h: Missa;

o    09:00h: Almoço Água de Pau (famílias);

Ø     Oração Final;