Orientações Diocesanas de Pastoral 2015-2016

Orientações Diocesanas de Pastoral
Misericordiosos como o Pai
Programa e Calendário Diocesano
Açores, 2015-2016
 
 
 
 
Misericordiosos como o Pai
É o lema que o Papa Francisco nos propõe para o Ano Santo da Misericórdia, que tem início no dia 8 de Dezembro de 2015.
Na Exortação Apostólica – A Alegria do Evangelho (AE) – o Papa Francisco recomenda «uma nova “saída” missionária da Igreja», no sentido de passar de «uma pastoral de mera conservação para uma pastoral decididamente missionária» (AE 15), que leve a comunidade cristã a passar «duma Igreja clerical a uma Igreja toda ministerial» (AE 15):
«A pastoral em chave missionária exige o abandono • deste cómodo critério pastoral: ‘fez-se sempre assim’! Convido todos a serem ousados e criativos, nesta tarefa de repensar os objetivos, as estruturas, o estilo e os métodos evangelizadores das respetivas comunidades… (AE 30).
«Nem sempre conseguimos manifestar adequadamen• te a própria beleza do Evangelho, mas há um sinal que
6
nunca pode faltar: a opção pelos últimos, por aqueles que a sociedade descarta e lança fora» (AE 195).
Nesse sentido, o Conselho Presbiteral de 2014 reco• mendou que a Diocese procurasse os melhores caminhos, para ajudar os Ouvidores a desencadearem nas próprias Ouvidorias um processo, que ajude a identificar e caraterizar as periferias da sociedade açoriana, que leve a uma consciência mais clara da nossa realidade social, cultural e eclesial.
Isso não pode acontecer de um momento para o outro. • É um processo, que é preciso desencadear, ao longo do tempo. O Ano Santo da Misericórdia é uma oportunidade para desencadear esse processo, com iniciativas, que ajudem a um melhor conhecimento da nossa realidade. Neste mundo em mudança, quais são as novas periferias, em que urge intervir? Não apenas com a esmola, mas desencadeando um processo de autêntica promoção humana e social… Nesse sentido, os Ouvidores têm de ser devidamente apoiados e formados, para ajudarem as Ouvidorias a entrarem nesta «nova etapa evangelizadora» (AE 17).
Acolhendo a forte interpelação da Exortação Apostó• lica do Papa Francisco – A Alegria do Evangelho (AE) – o Conselho Presbiteral, na sua reunião de 5 a 9 de Maio de 2014, sugeriu que a Diocese desencadeasse um processo, no sentido de promover nos próximos anos: «A caraterização da identidade açoriana…; uma avaliação aprofundada da realidade da Igreja diocesana…; a sinalização das várias periferias para a nova saída missionária da Igreja».
Vão nesse sentido as Orientações Diocesanas de Pas•
7
toral para 2015-2016, que aqui apresento e aprovo, como compromisso da Diocese de pôr em movimento, nos próximos anos, este processo de «uma nova ‘saída’ missionária da Igreja» (AE 20), como recomenda o Papa Francisco.
Assim nos ajude a Virgem Mãe!
X António, Bispo de Angra
Angra, 30 de Junho de 2015.
8
9
UM CORA ÇÃO MISERIC ORDIOSO QUE
NOS VISI TA COMO SOL NASCE NTE
Algumas circunstâncias vão ajudar-nos a dar continuidade ao plano paradigmático e programático que temos entre mãos: «Da alegria do Evangelho à saída missionária da Igreja». A alegria é para nós tão intensa e convincente e a saída tão necessária quanto urgente, que não se esgotam num ano pastoral. Por isso, o programa é para continuar, como «conversão missionária» interna (ad intra) e «sonho missionário de chegar a todos» (ad extra).
C
ircunstâncias em 2015/16
que se cruzam e destacam
1. O Sínodo do Bispos, em Outubro de 2015, com as conclusões a que chegar e o seguimento que o papa Francisco lhe dará, com todas as consequências práticas que impliquem na vida e organização das nossas comunidades cristãs. A nossa Diocese participou ativamente na preparação das duas assembleias sinodais, contribuindo assim para o Instrumento Laboris: A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo.
2. O ano Litúrgico, a iniciar em Novembro de 2015 com a leitura
10
contínua e persistente do Evangelho de Lucas, onde se destaca a misericórdia e o perdão de Deus para connosco, e de cada pessoa para com a outra. A Misericórdia que se realiza sacramentalmente na Penitencia celebrada, reabilita-nos pela graça divina, a fim de vivermos “em Cristo” para Deus e para os outros.
3. Uma visita ao Concílio Vaticano II, por ocasião do Jubileu de Ouro da sua clausura, em Dezembro de 2015, onde Jesus aparece como Luz dos Povos e a Igreja como sacramento universal de salvação.
4. Nesse mesmo dia, a 8 de Dezembro de 2015, dá-se início ao Ano Jubilar da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco para vivermos e partilharmos com crentes e não crentes o sentimento principal de Deus a nosso favor, na constante vontade de nos retomar e salvar, com um amor comprovado que a todos chega e a ninguém esquece.
5. Em Janeiro e Fevereiro de 2016 recebemos, de braços a abertos, a visita da imagem peregrina de Nossa de Fátima, que, em 100 anos, visita, pela terceira vez, as ilhas dos Açores. A mesma Mãe que tantas vezes anima, estimula, restaura e refresca a nossa esperança quando a procuramos vem agora visitar-nos, trazer o Filho, «que das alturas nos visita como sol nascente, para iluminar os que jazem nas trevas e nas sombras da morte e dirigir os nossos passos no caminho da paz» (Lc 1, 78-79). A visita requer uma boa preparação, acolhimento e celebração. O Movimento da Mensagem de Fátima, a Legião de Maria e demais movimentos marianos são chamados, em cada ilha, a envolverem-se nesta dinâmica para o cumprimento da missão apostólica da visita.
6. Em Fevereiro de 2016, encerramos o Ano dedicado à Vida Consagrada que tem por finalidades: fazer memória agrade11
cida do passado; abraçar o futuro com esperança e viver o presente com paixão. É tempo dos consagrados em missão na nossa Diocese actualizarem estes objectivos, inspirados em Santa Teresa de Ávila (1515), pela intimidade com Deus, pelo exercício perseverante na oração e pela qualidade apostólica da sua intensa atividade. As nossas comunidades sairão muito enriquecidas com esta presença, de profecia e de esperança, que se há-de reflectir na pastoral familiar, juvenil e vocacional.
Fins e propósitos
do ano jubilar 2015/16
A Igreja é chamada, neste tempo de mudanças epocais, a oferecer mais vigorosamente os sinais da presença e proximidade de Deus. Este não é o tempo para nos deixarmos distrair, antes pelo contrário: permanecermos vigilantes e despertarmos em nós a capacidade de fixar o essencial, afirmou o Papa Francisco na Celebração das Primeiras Vésperas do Domingo da Divina Misericórdia de 2015, definindo, deste modo, os «objectivos» do ano Jubilar e Pastoral de 2015-2016.
O lema do ano é extraído do Evangelho de S. Lucas 6, 36: «Misericordiosos como o Pai», que se propõe viver a misericórdia seguindo o exemplo do Pai, que pede para não julgar e não condenar, mas perdoar e dar amor e perdão sem medida (Lc. 6, 37-38).
A imagem do logotipo, na capa, mostra o Filho que carrega aos ombros o homem perdido. O desenho realça o Bom Pastor que toca profundamente a carne do homem e o faz com tal amor capaz de lhe mudar a vida. O Bom Pastor com extrema misericórdia carrega sobre si a humanidade, mas os seus olhos
12
confundem-se com os do Homem. Cristo vê com os olhos de Adão e este com os olhos de Cristo. Cada pessoa descobre assim em Cristo a própria humanidade e o futuro que a espera. A cena é colocada dentro da amêndoa, também esta uma figura cara da iconografia antiga e medieval que recorda a presença das duas naturezas, divina e humana em Cristo. As três ovais concêntricas, de cor progressivamente mais clara para o exterior, sugerem o movimento de Cristo que conduz o homem para fora da noite do pecado e da morte. Por outro lado, a profundidade da cor mais escura também sugere o mistério do amor do Pai que tudo perdoa.
Para o Papa Francisco este ano jubilar em curso é um tempo para:
a) Ser sinal e instrumento da misericórdia do Pai é o sentido da missão que o Senhor confiou à Igreja no dia de Páscoa (cf. Jo 20, 21 – 23).
b) Manter vivo o desejo de individualizar os inúmeros sinais da ternura que Deus oferece a quantos estão em tribulação, vivem sozinhos e abandonados, sem esperança de ser perdoados e sentir-se amados pelo Pai.
c) Sentir intensamente em nós a alegria de ter sido reencontrados por Jesus, que veio, como Bom Pastor, à nossa procura, por andarmos extraviados.
d) Dar conta do calor do amor do Bom Pastor, quando nos carrega aos ombros e nos traz de volta à casa do Pai.
e) Ser tocados pelo Senhor Jesus e transformados pela sua misericórdia para nos tornarmos, também nós, testemunhas da misericórdia.
13
f) Tratar as feridas e não nos cansarmos de ir ao encontro de quantos estão à espera de ver e tocar sensivelmente os sinais da proximidade de Deus, para oferecer a todos o caminho do perdão e da reconciliação.
g) Fazer a experiência de abrir o coração àqueles que vivem nas mais variadas periferias existenciais, que o mundo contemporâneo tantas vezes cria de forma dramática (MV 15).
h) Fazer eco da Palavra de Deus que ressoa forte e convincente na Igreja, como palavra e gesto de perdão, apoio, ajuda, amor. Que a Igreja nunca se canse de oferecer a misericórdia e seja sempre paciente a confortar e perdoar (MV 25).
Meios para realizar os propósitos do ano jubilar
A dinâmica própria que vamos adquirindo e consolidando deve alargar-se e aprofundar-se na constituição e realização dos Conselhos Pastorais de Paróquia, de Zona Pastoral, de Ouvidoria, de Ilha e Diocese, bem como em Assembleias Pastorais locais, temáticas, ou por destinatários, com momentos de reflexão, testemunho, oração, celebração e festa.
As instâncias pastorais consultivas, executivas e formativas devem girar à volta dos eixos que nos orientam ao longo deste ano.
Os Serviços Diocesanos de Pastoral estarão envolvidos, no que lhe é próprio, na concretização dos fins do ano, devendo preparar e celebrar o Jubileu de um modo temático ou consoante os destinatários que servem:
1. Evangelização – Catequese e Pastoral Escolar
14
2. Pastoral Social, da Mobilidade Humana, Penitenciária e da Saúde
3. Pastoral Juvenil, Universitária, Familiar e Apostolado dos Leigos
4. Pastoral das Vocações, Ministérios e Vida Consagrada
5. Pastoral da Cultura, Bens Culturais e das Comunicações Sociais
6. Pastoral Litúrgica e da Música Sacra
Para além da Cáritas Diocesana e de cada Ilha, através de vários programas, entres eles o «Próximo +», dos Centros Sociais Paroquiais e Movimentos de Caridade, as Santas Casas da Misericórdia dos Açores, inspiradas no nº. 15 do «Rosto da Misericórdia», a Bula de proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, do Papa Francisco, serão um meio extraordinário de realizar as obras de misericórdia entre nós:
C
orporal: Dar de comer a quem tem fome, dar de beber a quem tem sede, vestir os nus, dar pousada aos peregrinos, assistir os enfermos, visitar os presos e enterrar os mortos.
E
spiritual: Dar bom conselho, ensinar os ignorantes, corrigir os que erram, consolar os tristes, perdoar as injúrias, sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo, rogar a Deus por vivos e defuntos:
Estas respeitáveis Irmandades de Misericórdia, reconhecidas como associações de fiéis para a prática da misericórdia, agora em revisão de Compromisso, de acordo com o seu quadro axiológico fundacional, estão implantadas nas nove ilhas dos Açores:
15
Corvo: Santa Casa de Misericórdia do Corvo
Flores: Santas Casas da Misericórdia de Santa Cruz e das Lajes
Faial: Santa Casa da Misericórdia da Horta
Pico: Santas Casas da Misericórdia de São Roque, Madalena e Lajes
S. Jorge: Santas Casas da Misericórdia da Calheta e das Velas
Graciosa: Santas Casas da Misericórdia da Praia e de Santa Cruz
Terceira: Santa Casas da Misericórdia de Angra do Heroísmo, Praia da Vitória, São Sebastião e Altares
S. Miguel: Santa Casas da Misericórdia de Ponta Delgada, Ribeira Grande, Maia, Nordeste, Povoação, Vila Franca e Lagoa
Santa Maria: Santa Casa de Misericórdia de Vila do Porto
I
grejas Jubilares e Peregrinação
nas Ouvidorias
Para além da Igreja Catedral que será, para a Diocese, a igreja jubilar por excelência, também são designadas como igrejas jubilares os cinco Santuários Diocesanos: Santo Cristo em Ponta Delgada, Bom Jesus no Pico, Nª. Sª. da Conceição em Angra, Santo Cristo da Caldeira em S. Jorge e Nª. Sª. dos Milagres da Serreta na Terceira, e ainda outras igrejas especialmente significativas em cada ilha e ouvidoria.
A visita da imagem peregrina poderá coincidir com essa igreja jubilar ou com outra, na ilha ou ouvidoria, com a invocação à
16
Virgem Maria, particularmente a Nª Sª. do Rosário, de Fátima ou da Misericórdia.
Serão meta da «peregrinação sagrada», segundo o espírito jubilar, para além da já enunciadas, as seguintes igrejas em cada ilha:
Santa Maria: Igreja de Nª Sª. da Assunção de Vila do Porto
São Miguel: Ribeira Grande: Igreja de Nª. Sª. da Estrela
Fenais da Ajuda: Igreja de Nª. Sª. do Rosário da Lomba da Maia
Nordeste: Igreja de São Jorge
Povoação: Igreja de Nª. Sª. Mãe de Deus
Vila Franca do Campo: Igreja de S. Miguel e Ermida de Nª. Sª. da Paz
Lagoa: Igreja de Nª. Sª. do Rosário
Capelas: Igreja de Nª. Sª. da Apresentação das Capelas
Ponta Delgada: Igreja de Nª. Sª. de Fátima do Lajedo
Terceira: Igreja de Santa Cruz da Praia da Vitória
Graciosa: Igreja de Santa Cruz
São Jorge: Igreja de Santa Catarina na Calheta
Pico: Igreja de São Mateus
Faial: Igreja do Santíssimo Salvador na Horta
Flores: Igreja de Nª. Sª. da Conceição de Santa Cruz
Corvo: Igreja de Nª. Sª. dos Milagres
Observadas as condições prescritas, as Romarias Quaresmais de São Miguel, Terceira e Graciosa sejam igualmente consideradas «peregrinação sagrada» jubilar.
17
À prática da peregrinação está ligada a indulgência jubilar que exige a celebração do sacramento da reconciliação, a comunhão eucarística, a oração pelo Santo Padre e a contrição perfeita. Para além da participação numa acção litúrgica requer-se a oração do Pai-nosso, a Profissão de Fé e a invocação da Virgem Maria.
Visita da imagem peregrina a cada ilha
Trata-se de um momento da missão evangelizadora na Igreja e da Igreja. A visita da mesma imagem nas décadas de 40 e 80 do século passado mobilizou todas as comunidades cristãs num acolhimento caloroso, marcado pela alegria de receber, na fé, o ícone da Mãe de Deus, contemplação do rosto terno e misericordioso de Deus, sempre objecto da devoção e do carinho dos fieis. Agora, de 7 de Janeiro a 28 de Fevereiro de 2016, na simplicidade e na grandeza de povo crente, entoaremos com Maria o cântico de louvor e gratidão a Deus pela grandeza das suas obras, proclamando com entusiasmo a profecia: «de hoje em dia me chamarão bem-aventurada todas as gerações» (Lc. 1, 48).
Os Bispos de Portugal, a este propósito, convidam «o Povo de Deus a entrar em profundidade na celebração da sua fé, particularmente por meio da participação na Eucaristia, na celebração do sacramento da Penitência e da Unção dos Doentes; para incentivar à oração de adoração diante do Santíssimo Sacramento, tão característica da espiritualidade de Fátima; e para relançar o hábito da oração mariana do Rosário nas famílias cristãs, acompanhada pelas meditações bíblicas e pelo silêncio contemplativo».
As crianças são convidadas a crescer no amor a Jesus e Nossa Senhora, seguindo o exemplo dos três Pastorinhos. Pede-se
18
que todos acolham a imagem da Virgem Peregrina com sobriedade e que a visita seja ocasião de solicitude e partilha com os pobres. A todos se exorta a acolher a Virgem Peregrina de Fátima como a imagem da “Igreja em saída”, que vai ao encontro dos seus filhos e filhas em todas as periferias para lhes levar o anúncio de Jesus Cristo como o único Salvador». (CEP, 16 de abril de 2015).
19
CA
LENDÁRI O DIOCESA NO
A
NO PAS TORA L 2015/2016
S
etembro 2015
Visita do SDPE à Escola de Santa Maria
– Centenário da criação da Congregação da Doutrina Cristã na Diocese de Angra
Simpósio Nacional do Clero – Fátima
Formação para professores de EMRC – Ponta Delgada
Visita dos Bispos de Portugal ad sacra limina – Roma
Peregrinação e Festa no Santuário Diocesano do Senhor Santo Cristo da Caldeira – São Jorge
Natividade da Virgem Maria
Encontro Nacional de Canonistas sobre causas matrimoniais – Fátima
Peregrinação e Festa no Santuário Diocesano de Nª. Sª. dos Milagres (Serreta) – Terceira
1 –
1 - 3 –
1 - 4 –
4 - 12 –
5 - 6 –
8 –
9 - 12 –
12 - 13 –
20
Exaltação da Santa Cruz: Flores, Pico, Graciosa, Praia da Vitória e Lagoa
Jornadas Nacionais Missionárias – Fátima
Semana Nacional da Educação Cristã
São Mateus – Faial, Graciosa, Pico, S. Jorge e Terceira
Encontro Mundial da Família – Filadélfia – Estados Unidos da América
Sessão de formação para agentes da Pastoral Familiar – Angra do Heroísmo, Horta e Ponta Delgada
Jornadas Nacionais da Comunicação Social – Fátima
Jornadas Nacionais de Catequese – Fátima
Dia Diocesano de Oração pelas Famílias
Arcanjo S. Miguel – Vila Franca do Campo e Lajes da Terceira
Outubro 2015
Dia do Idoso e da Música. Início do mês missionário
Apresentação da Encíclica Ladato Si do Papa Francisco – Ponta Delgada e Angra do Heroísmo
14 –
19 - 20 –
20 - 27 –
21 –
22 - 27 –
22 - 27 –
24 - 25 –
25 - 27 –
27 –
29 –
1 –
2 –
21
Festa de São Francisco da Assis – Família Franciscana – Angra
Encerramento do Jubileu dos cinco séculos da paróquia das Lajes das Flores
Sínodo dos Bispos sobre a Família – Roma
Encontro de professores de EMRC das Escolas da Ilha Terceira
Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral – Angra
Dia Mundial das Missões
Fórum Nacional das Vocações – Fátima
Encontro da Família Vicentina – Terceira
Centenário da criação de quatro circunscrições eclesiásticas na ilha Terceira (quatro zonas pastorais)
Novembro 2015
Solenidade de Todos os Santos
Semana da Diocese
Comemoração de todos os Fieis Defuntos
Aniversário da criação da Diocese de Angra (482 anos)
4 –
4 - 25 –
10 –
16 –
18 –
23 - 24 –
25 –
30 –
1 –
1 - 8 –
2 –
3 –
22
Formação no programa + Próximo (Caritas) – Zona do Ramo Grande
Jornadas Diocesanas da Comunicação Social – Centenário do Jornal A Crença – Vila Franca do Campo
Encontro Nacional de Formação em Pastoral Social e da Saúde – Lisboa
Conferência Nacional da Comissão Justiça e Paz – Lisboa
Dia da Igreja Diocesana
Semana dos Seminários
Aniversário da criação do Seminário Episcopal – Angra do Heroísmo
Formação no programa + Próximo (Caritas) – Ouvidoria de Ponta Delgada
Dia dos Seminários
Retiro do Clero (Padres do Prado) – Fátima
Encontro com os Professores de EMRC – Faial e Pico
Colégio de Consultores – Ponta Delgada
Conselho Pastoral Diocesano – Ponta Delgada
– Estudos de Espiritualidade Inaciana – Fátima
4 - 6 –
5 –
5 - 6 –
7 –
8 –
8 - 15 –
9 –
11 - 14 –
15 –
16 - 20 –
18 - 20 –
20 –
20 - 22 –
23
Solenidade de N. S. J. Cristo Rei do Universo
Semana Bíblica – Ponta Delgada
Encontro Nacional dos Diáconos Permanentes – Fátima
Dia de oração pela vida nascente – Bênção das grávidas
Início do Ano Litúrgico – Evangelista Lucas (Ano C) – I Domingo do Advento
Dezembro 2015
Lançamento do Sítio Diocese de Angra (Site institucional)
Retiro para as Ordens - Angra
Formação no programa + Próximo (Caritas) – Zona de Angra
Vigília da Imaculada Conceição e Apresentação dos candidatos ao Diaconado – Angra do Heroísmo
Imaculada Conceição da Virgem Maria – Ordenação e Jubileu de Diáconos – Santuário Diocesano de Nª. Sª. da Conceição em Angra
– 50º. Aniversário da clausura do Concílio Ecuménico Vaticano II
Abertura da "Porta da Misericórdia" na Catedral – Angra. Bênção dos Presépios
22 –
23 - 27 –
28 –
28 - 29 –
29 –
1 –
1 - 7 –
3 - 5 –
7 –
8 –
13 –
Aniversário natalício do Papa Francisco
Vigília do Natal do Senhor
Natal do Senhor
Renovação das promessas diaconais
Sagrada Família
Canto do Te Deum
Janeiro 2016
Santa Maria, Mãe de Deus – Dia Mundial da Paz
Epifania do Senhor – Anúncio solene da Páscoa
Chegada da Imagem Peregrina de Nª. Srª de Fátima aos Açores. Acolhimento em Santa Maria
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria de Santa Maria
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria da Ribeira Grande
Festa do Baptismo de Jesus
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria de Fenais da Ajuda
Visita do SDPE às Escolas da ilha de S. Miguel
17 –
24 –
25 –
26 –
27 –
31 –
1 –
3 –
7 –
7 - 9 –
9 - 12 –
10 –
12 - 15 –
13 - 15 –
24
25
Festa de Santo Amaro – Memória na Diocese
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria de Nordeste
Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar – Fátima
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria de Povoação
Oitavário de Oração pela Unidade dos Cristãos
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria de Vila Franca do Campo
Ordenação Presbiteral – Sé – Angra
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria da Lagoa
Congresso Eucarístico Internacional – Cebu, Filipinas
Retiro / Formação Permanente do Clero – Angra
Semana do Consagrado
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria de Capelas
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria de Ponta Delgada
15 –
15 - 18 –
16 - 17 –
18 - 21 –
18 - 25 –
21 - 24 –
24 –
24 - 27 –
24 - 31 –
25 - 29 –
26 - 31 –
27 - 30 –
30 - 31 –
26
Fevereiro 2016
Encerramento da Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima a S. Miguel – Ponta Delgada
Retiro / Formação Permanente do Clero – Ponta Delgada
Apresentação do Senhor: Nª Srª da Estrela, da Luz e das Candeias. Dia do consagrado. Encerramento do Ano da Vida Consagrada
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria das Flores
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria do Corvo
Dia da Universidade Católica Portuguesa
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria do Faial
Início da Quaresma: Cinzas
Nª. Sª. de Lurdes. Dia Mundial do Doente
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria do Pico
Dia dos Namorados (Pastoral Familiar)
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria de São Jorge
1 –
1 - 5 –
2 –
2 - 5 –
5 - 8 –
7 –
8 - 11 –
10 –
11 –
11 - 14 –
14 –
14 - 17 –
27
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria da Graciosa
Chegada da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Ouvidoria da Terceira – Acolhimento na Matriz da Praia da Vitória (Zonas do Ramo Grande e Leste).
Semana da Caritas
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Terceira – Santuário de Nª. Sª. dos Milagres – Serreta (Zona Oeste)
Visita da imagem de Nª. Sª. de Fátima à Terceira – Santuário de Nª. Sª. da Conceição – (Zonas de Angra – Cidade e Periferia )
Encerramento da Visita à Diocese, na Sé Catedral. Partida da imagem para o Santuário de Fátima
Dia de Caritas
Março 2016
Jornada «24 horas para o Senhor»
Dia Diocesano do Doente. Aniversário da eleição do Papa Francisco
Semana de Educação Moral e Religiosa Católica
Aniversário natalício: D. António Sousa Braga
18 - 21 –
21 - 22 –
21 - 28 –
22 - 24 –
24 - 26 –
27 - 28 –
28 –
5 - 6 –
13 –
14 - 18 –
15 –
28
Encontro Nacional dos Secretariados da Educação Cristã – Porto
Festa de São José. Dia do Pai
Missa Vespertina da Ceia do Senhor
Paixão do Senhor. Lugares Santos de Jerusalém
Vigília Pascal
Páscoa da Ressurreição
Retiro / Formação Permanente do Clero – Pico
Abril 2016
II Domingo de Páscoa – Dia da Divina Misericórdia
Anunciação do Senhor. Festa de Ácies (Legião de Maria)
Semana de Oração pelas Vocações
Conselho Presbiteral – Angra
Encontro de Ouvidores e Directores de Serviços Diocesanos de Pastoral – Angra
IV Domingo de Páscoa – Instituição nos Ministérios – Angra
Dia Internacional dos Monumentos e Sítios
15 - 18 –
19 –
24 –
25 –
26 –
27 –
28 - 31 –
3 –
4 –
10 - 17
11 - 15 –
17 –
18 –
29
Centenário da Criação das Ouvidorias de Fenais da Ajuda e Povoação na ilha de S. Miguel
Festas do Senhor Santo Cristo – Ponta Delgada
Maio 2016
Dia da Mãe
Festas do Senhor Santo Cristo – Ponta Delgada
Visita do SDPE às Escolas da ilha Terceira
Ascensão do Senhor – Festa do Senhor Santo Cristo – Santa Maria
– 50º. Dia dos Meios de Comunicação Social
Semana da Vida
25º aniversário da Visita de São João Paulo II aos Açores
Festas de Nª. Sª. de Fátima
Pentecostes. Dia Internacional da Família
Dia da Região Autónoma dos Açores
– 50º. Aniversário da abertura do Seminário – Colégio em Ponta Delgada
Encontro de alunos do 9º. Ano da ilha Terceira
Santíssima Trindade
24 –
30 –
1 –
1 - 2 –
3 - 4 –
8 –
10 - 15 –
11 –
12 - 13
15 –
16 –
18 –
22 –
30
João Batista Machado – Padroeiro da Diocese
Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo
Junho 2016
Dia da Criança – Visita do SDPE a Escolas do Primeiro Ciclo
Sagrado Coração de Jesus. Jornada de oração pela santificação dos sacerdotes
Peregrinação das Crianças – Fátima
Congresso Eucarístico Nacional – Fátima
Santo António de Lisboa
Visita do SDPE às escolas da ilha de São Miguel
Encerramento do ano lectivo no Seminário Episcopal
Ordenações e Jubileus sacerdotais
Nascimento de São João Batista
Colecta para o Santo Padre
Festa dos Apóstolos São Pedro e São Paulo
20º aniversário da ordenação episcopal de D. António e da sua entrada na Diocese
23 –
29 –
1 –
3 –
10 –
10 - 12 –
13 –
13 - 16 –
18 –
19 –
24 –
26 –
29 –
30 –
31
Julho 2016
Nª. Sª. do Carmo. Família Carmelita
Encontro Nacional de Pastoral Litúrgica – Fátima
S. Joaquim e Santa Ana – Dia dos Avós
Jornada Mundial da Juventude – Cracóvia, Polónia
A
gosto 2016
Transfiguração do Senhor. Festa do Senhor Bom Jesus – Pico. S. Salvador na Sé
Peregrinação dos Migrantes. Ofertório para a Pastoral da Mobilidade Humana
Assunção da Virgem Santa Maria: Festa com procissão em todas as ilhas
Aniversário da morte de D. Aurélio Granada Escudeiro – último Bispo Diocesano falecido
16 –
25 - 30 –
26 –
26 - 31 –
6 –
14 –
15 –
25 –
32
CA
LENDÁRI O 2015 / 2016
S
E T E M B R O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
O U T U B R O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
N O V E M B R O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
D E Z E M B R O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
F
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
N
26
27
28
29
30
31
J A N E I R O
D
S
T
Q
Q
S
S
F
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
M A I O
D
S
T
Q
Q
S
S
F
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
F E V E R E I R O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
E
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
J U N H O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
F
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
M A R Ç O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
F
26
P
28
29
30
31
J U L H O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
A
B R I L
D
S
T
Q
Q
S
S
F
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
F
26
27
28
29
30
A
G O S T O
D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
33
A
NEXO
C
onselho Presbiteral (2015)
Comunicado final
A 40ª sessão plenária do Conselho Presbiteral da Diocese de Angra decorreu entre os dias 20 e 25 do mês de Abril de 2015, pela primeira vez em S. Miguel, no renovado Centro Pastoral Pio XII, em Ponta Delgada, subordinada ao tema: «Avaliação das respostas pastorais da Diocese à realidade açoriana».
O instrumento de trabalho centrou-se nas seguintes questões, em parte sugeridas no documento preparatório da Visita ad Sacra Limina Apostolorum: I. Avaliação Geral sobre a situação da Diocese; II. Orientações principais do trabalho pastoral efectuado durante os últimos 5 anos; III. Que respostas estamos a dar perante um novo quadro no pensamento, família, cultura e sociedade nos Açores; IV. Em relação ao futuro, que desafios, objetivos pastorais a definir, meios mais adequados para alcançá-los e propostas de programação pastoral para 2015/16.
Esta Assembleia reuniu 11 membros em função do cargo, 16 membros eleitos e 4 membros convidados.
No início dos trabalhos, o Vigário Geral proferiu as pala1. vras de saudação e deu as orientações para a organização do plenário, em substituição do Bispo Diocesano, que,
34
condicionado por razões de saúde, não esteve sempre presente. O plenário aprovou um voto unânime de reconhecimento aos Sacerdotes do Coração de Jesus, tendo em conta a disponibilização do seu Centro Missionário para os trabalhos pastorais, na inexistência de um espaço próprio da Diocese, em S. Miguel.
O conselho congratulou-se com o restauro e ampliação do 2. renovado Centro Pastoral Pio XII, em Ponta Delgada, e participou com entusiasmo a sua inauguração no dia 22 de Abril de 2015.
No período antes da ordem do dia, o plenário aprovou o 3. parecer favorável à criação do Curato da Lomba do Botão, Igreja de Nossa Senhora de Fátima, Ouvidoria da Povoação. A Dra. Carmo Rodeia apresentou o recente trabalho realizado no âmbito da comunicação social diocesana e da sua influência nos outros meios escritos, e da necessidade de fazer mais nos meios de comunicação da rádio e televisão. O Vigário Geral promoveu a verificação da aplicação das medidas da sessão de 2014, de que se realça o carácter positivo da concretização de grande parte das propostas. O Ecónomo Diocesano prestou contas da Diocese relativas ao ano de 2014, realçando os empreendimentos realizados na Casa Betânia, no Centro Pastoral Pio XII, em S. Miguel, e os planos em curso e futuros. Insistiu na necessidade de cumprimento das obrigações económicas respeitantes a todos.
Dando cumprimento às orientações pastorais, o Con4. selho prosseguiu o trabalho de identificação das periferias, com a especial colaboração da socióloga Piedade Lalanda que apresentou o estudo «Identificação e caracterização das periferias existenciais nos Açores», desafiando a Igreja a contribuir para a desconstrução das diferentes periferias, indo ao encontro das pessoas,
35
acolhendo-as e integrando-as. A Igreja Diocesana, preocupada com o problema das migrações, convidou a Dr.ª Eugénia Quaresma, diretora da Obra Católica Portuguesa das Migrações, que apresentou o estudo «Igreja, sem fronteiras, Mãe de todos». Pediu que a Igreja sensibilizasse os políticos a concretizar este desafio de construir uma só família humana.
A avaliação que as ouvidorias e os serviços diocesanos fa5. zem da realidade da Igreja nos Açores acentua os aspectos negativos, mas os conselheiros sentiram a necessidade de se aprofundar melhor a realidade para poder corresponder de forma mais adequada. Apontam-se para fragilidades ao nível da vitalidade espiritual e religiosa, do empenhamento e formação dos leigos e do clero. Realça-se uma vitalidade sacramental sazonal, com abandono progressivo da vida comunitária paroquial; uma forte religiosidade popular que necessita de análise mais aprofundada, discernimento e maior acompanhamento pastoral; uma necessidade de que a Igreja atualize a sua linguagem aos tempos hodiernos, numa atitude mais evangelizadora, denunciando mais corajosa e claramente os atropelos à dignidade da pessoa humana; uma necessidade de sair de uma pastoral de manutenção e de ter uma presença mais missionária na sociedade; a vitalidade dos movimentos e obras de apostolado; os progressos da pastoral social, de que se destacam os centros sociais paroquiais, a Cáritas e as Conferências Vicentinas. O conselho insiste num efetivo acompanhamento dos presbíteros e a vantagem de estabilização das nomeações dos párocos. O conselho descreveu breve e claramente a presente situação social: pobreza generalizada, carências básicas, desemprego, famílias desestruturadas, envelhecimento da população, desmotivação social e política, que conduz a défices de cidadania.
A planificação pastoral foi considerada positiva, apesar 6.
36
das dificuldades de concretização e dos meios ao dispor. Propõe-se a necessidade da planificação trienal.
Perante um novo quadro de pensamento, família, cultura e 7. sociedade, o Conselho reafirma que a Igreja não tem correspondido a todos os desafios, do modo mais eficaz. Os Serviços apresentam dificuldades de coordenação e aplicação de projetos. Num quadro de dificuldades, a Ouvidoria tem sido a melhor estrutura a promover iniciativas e a congregar o clero.
Perante um vasto panorama de propostas de ação pastoral 8. para o futuro, os conselheiros privilegiaram as seguintes: preparação, celebração e vivência do Jubileu da Misericórdia e a sua concretização na família, a coordenação e incrementação da ação social e o encontro com as periferias, valorizando as Obras de Misericórdia e o sacramento da Reconciliação. Os conselheiros sublinham as iniciativas a decorrer na Diocese no âmbito da celebração do Ano da Vida Consagrada.
Os conselheiros propõem a revitalização do Instituto de 9. Cultura Católica, articulado com o Seminário de Angra, e alterando a sua designação para Instituto Católico de Cultura.
Finalmente, os conselheiros são favoráveis à convocação 10. da celebração de um Sínodo Diocesano quando for oportuno.
Em comunhão com todos os que sofrem, renovamos a nos11. sa opção preferencial pelos pobres, com particular ênfase para as famílias açorianas que, neste momento de crise, passam por inúmeros problemas, desde o desemprego ao agravamento das condições materiais até à desestruturação da própria família.
37
Obras de Misericórdia e orações
Obras Corporais:
1ª Dar de comer a quem tem fome;
2ª Dar de beber a quem tem sede;
3ª Vestir os nus;
4ª Dar pousada aos peregrinos;
5ª Assistir aos enfermos;
6ª Visitar os presos;
7ª Enterrar os mortos.
Obras Espirituais:
1ª Dar bons conselhos;
2ª Ensinar os ignorantes
3º Corrigir os que erram;
4ª Consolar os tristes;
5ª Perdoar as injúrias;
6ª Sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo;
7ª Rogar a Deus por vivos e defuntos.
38
A
to de entrega a Nossa Senhora de Fátima
Bem-aventurada Virgem de Fátima, com renovada gratidão pela tua presença materna, unimos a nossa voz à de todas as gerações que te dizem bem – aventurada.
Celebramos em ti as grandes obras de Deus, que nunca se cansa de se inclinar com misericórdia sobre a humanidade, atormentada pelo mal e ferida pelo pecado, para a guiar e salvar.
Acolhe com benevolência de Mãe o ato de entrega que hoje fazemos com confiança, diante desta tua imagem a nós tão querida.
Temos a certeza que cada um de nós é precioso aos teus olhos e que nada te é desconhecido de tudo o que habita os nossos corações. Deixamo-nos alcançar pelo teu olhar dulcíssimo e recebemos a carícia confortadora do teu sorriso.
Guarda a nossa vida entre os teus braços: abençoa e fortalece qualquer desejo de bem; reacende e alimenta a fé; ampara e ilumina a esperança; suscita e anima a caridade; guia todos nós no caminho da santidade.
Ensina-nos o teu mesmo amor de predileção pelos pequeninos e pelos pobres, pelos excluídos e sofredores, pelos pecadores e desorientados; reúne todos sob a tua proteção e recomenda todos ao teu dileto Filho, nosso Senhor Jesus. Ámen.
(Oração do Papa Francisco, diante da imagem de Nª. Sª. de Fátima,
Praça de S. Pedro 13 de Outubro de 2013)
39
À Sagrada Família
Jesus, Maria e José,
em Vós contemplamos
o esplendor do verdadeiro amor;
a Vós, com confiança, nos dirigimos.
Sagrada Família de Nazaré,
tornai também as nossas famílias
lugares de comunhão e cenáculos de oração,
escolas autênticas do Evangelho
e pequenas Igrejas domésticas.
Sagrada Família de Nazaré,
que nunca mais se faça nas famílias
experiência de violência, egoísmo e divisão:
quem ficou ferido ou escandalizado
depressa conheça consolação e cura.
Sagrada Família de Nazaré,
que o próximo Sínodo dos Bispos
possa despertar, em todos, a consciência
do carácter sagrado e inviolável da família,
a sua beleza no projeto de Deus.
Jesus, Maria e José,
escutai, atendei a nossa súplica.
Amen.
(Oração do Papa Francisco para
o Sínodo sobr
e a Família)
Texto:
Vigário Geral da Diocese de Angra
Paginação e Design:
União Gráfica Angrense Unipessoal, Lda.
4.000 exemplares
Angra do Heroísmo – Terceira – Açores
Julho 2015